Por Karen Kornilovicz
MLP Assessoria de Comunicação

Brasília, 15 de dezembro de 2020 – A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de ontem, o Projeto de Lei Complementar (PLP 146/19), batizado de marco legal das startups. Foram 361 votos a favor e 66 contrários. Ela segue agora para apreciação do Senado.

O marco define como startups empresas e sociedades cooperativas que atuam na inovação aplicada a produtos, serviços ou modelos de negócios, com receita bruta anual de até 16 milhões de reais e até dez anos de inscrição no CNPJ.

Estima-se que o Brasil possua atualmente cerca de 13 mil empresas nascentes de base tecnológica, as chamadas startups, em diferentes estágios de desenvolvimento e atuando em segmentos diversos, tais como educação, saúde, agronegócio, comunicação, finanças e saúde.  A Softex, entidade que há 25 anos atua em prol do fomento da transformação digital brasileira, possui em seu portfólio 5 mil.

O presidente da Softex, Ruben Delgado

“Esse PLP é mais um passo para apoiar as startups brasileiras. O marco fortalece o ecossistema empreendedor nacional e estimula a inovação ao ampliar a segurança jurídica, em especial para os investidores-anjo e fundos de investimento, em seu artigo 25. Além de baixar alíquotas de impostos, o que aumentará a rentabilidade dos fundos, também dá outra importante contribuição ao abrir a possibilidade de que empresas de outros segmentos – não apenas as beneficiadas pela Lei de Informática – aportem recursos em fundos voltados à P&D”, comemora Ruben Delgado, presidente da Softex.

Para ele, outro aspecto importante coberto pelo PLP 146/19 diz respeito à isenção de responsabilidade dos investidores sobre passivos e relações trabalhistas. “Com o PLP, o Brasil se alinha a países com ambiente regulatório para fomento – como Estados Unidos, Israel e Alemanha – o que deverá colaborar para aumentar a competitividade e a inovação das empresas nacionais”, complementa Ruben Delgado.

Na visão do deputado João Roma, presidente da Comissão das Startups, “com a aprovação dessa matéria nós temos agora a oportunidade de estimular o nosso desenvolvimento tecnológico e o setor de inovação. Além disso, neste momento de crise, o marco legal pode ser importante vetor para a retomada da nossa economia, a partir do momento em que vai proporcionar e incentivar a criação de novos negócios com base tecnológica”.

Atualmente, os programas da Softex apoiam mais de 6.000 mil empresas e 500 mentores integram a base entidade, que possui uma aceleradora exclusiva e mais 19 parceiras, além de 34 ICTs credenciadas.

“A Softex é o caminho mais curto entre a garagem e o Vale do Silício”, afirma Delgado, lembrando que mais de 600 startups já receberam investimentos por meio dos diversos programas gerenciados pela entidade.

 

Por Karen Kornilovicz
MLP Assessoria de Imprensa

Brasília, 15 de dezembro de 2020 – Nesta terça-feira (15), a partir das 19h, Marcos Pontes, ministro da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), apresentará em live no canal do ministério no YouTube, os resultados do Programa IA2 MCTI, que tem por objetivo fomentar o emprego da inteligência artificial para acelerar a evolução tecnológica em quatro áreas prioritárias: agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes.

Na oportunidade, Ruben Delgado, presidente da Softex, anunciará os 30 projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) selecionados para trabalhar em parceria com as 13 aceleradoras e 25 ICTs integrantes. Cada um poderá  receber investimentos totais de até R$ 500 mil. É permitido às aceleradoras reter equity e o Programa realizará um aporte de co-investimento de mesmo valor.

Além de estimular o desenvolvimento de novos negócios de maior impacto e  de soluções mais robustas, o IA2 MCTIC também viabiliza acesso aos mercados nacional e internacional por meio da inovação aberta.

Para acompanhar a live, acesse https://www.youtube.com/mctic

 

Fabrício Lourenço
Assessoria de Imprensa Softex

Brasília, 11 de dezembro de 2020 – Criado para fomentar o empreendedorismo, estimular a Inovação Aberta no Brasil e desenvolver ações coordenadas para o aumento da densidade de startups brasileiras, o Programa Conecta Startup Brasil chega a fase 3 com um saldo positivo: desde que foi instituído, o programa possui mais de 1877 startups e 270 empresas inscritos, além das oportunidades de novos negócios e geração de renda para mais de 6 mil pessoas.  Destaque, também, para a rede conecta que possui 470 mentores e 100 negócios inovadores de base tecnológica criados.

Iniciativa conjunta do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Softex, em parceria de execução do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conecta vem apliando a densidade das startups, de Norte a Sul, alinhadas aos desafios do setor produtivo brasileiro.

Um relatório apresentado pela Softex revela que o Programa já impactou mais de 21 mil pessoas e mais de 10 mil em eventos presenciais, ocorridos antes da pandemia do novo coronavírus. Outro ponto de merecido destaque refere-se ao número de eventos realizados, entre 2019 e 2020: foram 46, o que corresponde a 85% dos distritos brasileiros.
O resultado final da fase 2 do programa aponta que 26% das startups já estão faturando antes do esperado e 99% dos empreendedores, das startups da fase 2, estão cursando o ensino superior ao doutorado, o que reforça o nível acadêmico e técnico dos pré-acelarados.

A fase 3, que se encontra o início, possui representação das  regiões do país. Na região Sul, 5 ; Sudeste, 5; Norte, 6; Nordeste, 5; e Centro-Oeste, 4. Destaque para 80% das startups finalistas possuem ao menos uma (1) mulher na equipe.

Realizado recentemente, o 100 Open Startups divulgou o ranking e as Startups do Conecta Startup Brasil constam na lista, são elas: Laraia, Pix Force, Leadfinder, Amachains.

Programa Startup Brasil em números

● 1877 startups inscritas
● 270 empresas inscritas
● Seleção e fomento à 100 startups
●50 Empresas selecionadas
●237 desafios em 23 áreas temáticas distintas
●53 conexões geradas
●Oportunidade de novos negócios e geração de renda à +600 pessoas
●Valor total de investimento nos projetos: R$4,750,000.00
●NPS: Zona de Excelência
●85% é a taxa de Intenção de compra das empresas aos
produtos ou serviços das startups
Impacto
●470 mentores cadastrados
●20 expertises/áreas de conhecimento nas mentorias
●117 conteudistas e painelistas voluntários
●100 negócios inovadores de base tecnológica criados
●50 empresas envolvidas
●25 embaixadores de comunidades em todo Brasil
●Presença em todas as regiões do país
●22 Aceleradoras e Investidores em nosso portfólio
●10 parceiros com produtos digitais para startups
Fase 3 – início
●49 startups totais seguem no programa
●23 empresas seguem no programa
●35 conexões seguem no programa
●94% é a de taxa de sucesso nas conexões com as empresas
●72% das startups finalistas aplicam tecnologias tendência de mercado como IA e Big Data
Mais informações sobre os resultados do Conecta podem ser
acessados aqui.

 

O Prêmio foi criado para reconhecer os agentes de Transformação que impulsionam o Ecossistema de Startups em Manaus

Por Fabrício Lourenço
Assessoria de Imprensa da Softex

Brasília, 10 de dezembro de 2020 – A Organização Social Civil de Interesse Público (OSCIP) – Softex foi indicada em três categorias na 5ª edição do Prêmio Jaraqui Valley 2020. O anúncio foi publicado ontem (9) na página do evento.

A indicação é realizada por membros voluntários da comunidade Jaraqui Valley com o intuito de reconhecer os agentes que participam ativamente do ecossistema de startups de Manaus.

O processo de escolha é feito em três etapas: fase 1, Indicação popular; fase 2, Comitê avaliador escolhe os 3 finalistas; e fase 3, Comitê avaliador escolher o vencedor de cada categoria.  Cabe destacar que o Comitê avaliador é formado por 35 pessoas de notório conhecimento em inovação e startups.

De acordo com o cronograma da premiação, no próximo dia 15 de dezembro serão anunciados os 3 finalistas de cada categoria; e no dia 19/12 ocorrerá a entrega do Prêmio, de forma semipresencial. Os três finalistas receberão convite individual para a premiação, seguindo as diretrizes de não aglomeração.

A Softex foi indicada nas seguintes categorias: Instituto de Inovação; Evento: Conexão Amazônia (realizado de forma on-line); e Programa: Programa Prioritário de Empreendedorismo.

Atuante em prol do desenvolvimento da Transformação Digital há mais de 24 anos, a Sofex cria, promove e executa iniciativas no âmbito nacional e internacional nas áreas de tecnologia e informação.

Com sede em Brasília (DF) e em Manaus (AM), a Softex possui 6 Áreas, 21 Agentes Regionais, 1 Aceleradora exclusiva e mais 19 parceiras e 34 Instituições de Ciência e Tecnologia. Beneficia a aceleração de mais de 5 mil startups e cerca de 6 mil empresas. Atua em todos os estados do Brasil e em 20 países nos setores Industrial, Agronegócio, Comércio e Serviços e Logística nas verticais Gás e Óleo, Telecomunicações, Saúde, Aeroespacial, Automotivo, Segurança.

Mais informações sobre a 5ª Edição do Prêmio Graúdo 2020 podem ser obtidas aqui.

O Marketing Guide Analysis tem o objetivo de demonstrar possibilidades para as empresas que participam do Projeto Brasil IT+

Por Fabrício Lourenço
Assessoria de Imprensa Softex

Brasília, 10 de dezembro de 2020 – Conhecer mercados específicos de diversos países, com foco na área de serviços, tecnologia, software e investimentos disponíveis. Esse é o objetivo do Marketing Guide Analysis, produzido pela Softex, que traz informações que estimulem a curiosidade e o interesse em investir em novos mercados.

A publicação, que é on-line e gratuita, traz informações sobre a África do Sul, considerada a economia mais industrializada da África Subsaariana, além de possuir um mercado crescente para serviços e tecnologia. Cabe ressaltar que esse país faz parte do Bloco de países emergentes (BRICs) junto com o Brasil, Índia, Rússia e China.

O documento aborda, ainda, um estudo realizado pelo “Departamento of Communication – Republic of South Africa” que afirma que a liderança da África do Sul se destaca nas áreas de software móvel, serviços de banco eletrônico, pré-pagamento, gestão de receitas, sistemas de prevenção de fraude e fabricação de decodificadores com foco em produtos destinados ao mercado de exportação.

Outro ponto de destaque é que a tendência mundial de mudança para sistemas baseados em nuvem ganhou impulso na África do Sul, especialmente com melhorias na conectividade e infraestrutura de data centers. O material completo está disponível no site da Softex, para ler o conteúdo na íntegra clique aqui.

 

Um dos países mais digitais do mundo está repleto  de oportunidades para as empresas brasileiras

Por Karen Kornilovicz
MLP Assessoria

Brasília, 8 de dezembro de 2020 – Nesta quarta-feira (9), das 15h00 às 18h00, a programação do Global Connection, missão comercial on-line promovida pela da Softex reunindo empresas brasileiras e startups interessadas em criar conexões e em expandir suas fronteiras de atuação, terá como destaque as oportunidades de negócios na área de TI na Estônia.

Localizada na costa oriental do mar Báltico, no norte da Europa, a Estônia é um dos países mais digitais do mundo, um processo que teve início há 29 anos, quando o governo compreendeu que a modernização seria a única saída para superar os desafios econômicos e sociais que afligiram a população a partir da independência da União Soviética em 1991.

Nesse contexto, a tecnologia desempenhou um papel preponderante. Hoje, absolutamente todos os aspectos da administração federal são controlados eletronicamente e o acesso à internet é considerado um direito social. O sistema é tão avançado que tem sido estudado a fundo por diversos governos.

“A Estônia, berço de empresas como SkypeTransferWise e Pipedrive, soube se reinventar e hoje, além de atrair um enorme número de empresas de todo o mundo, conta com programas muito diferenciados para startups. É um ecossistema pujante, repleto de oportunidades e que merece estar no radar das empresas brasileiras. Afinal, estamos falando do país com mais unicórnios per capita no mundo”, explica Ana Pires, gerente de internacionalização da Softex.

Na oportunidade, o Estônia Hub fornecerá  um overview do ecossistema de TI da Estônia, além de oportunidades para startups e instituições, programas de apoio e acesso a investimentos.

Destaque também para a apresentação do caso de sucesso da brasileira OriginalMy, especializada na utilização da tecnologia blockchain para fornecer alguns serviços como validação de identidade, assinatura eletrônica e certificação de documentos digitais, na Estônia.

Informações detalhadas e inscrições – gratuitas – no endereço https://globalconnection.softex.br/

Estabelecendo conexões globais – Despertar e inspirar empresas para as muitas oportunidades no mercado internacional. Esse é um dos principais objetivos da primeira edição da Global Connection, missão comercial 100% on-line e gratuita realizada pela Softex e que prosseguirá até 9 de dezembro com dois eventos semanais destacando o ecossistema de inovação e de acesso a recursos para investimento dos quatro países-alvo: Brasil, Canadá, Portugal, Colômbia e Estônia.

Sobre a Softex

Com sede em Brasília, a Softex atua há mais de 20 anos na concepção e na gestão de programas de impacto internacional e coordena o Sistema Softex, composto por 21 agentes regionais distribuídos por 13 estados brasileiros e no Distrito Federal. A entidade possui 22 ICTs credenciadas e 19 aceleradoras parceiras e beneficia cerca de 4 mil startups e mais de 6 mil empresas. A Softex trabalha em articulação com a iniciativa privada e com os governos nas esferas federal, estadual e municipal, centros acadêmicos e instituições de fomento. Nessas mais de duas décadas de atividades, se consolidou como a principal instituição brasileira capaz de conectar atores das três esferas – Governo, Academia e Setor Privado – para impulsionar o desenvolvimento do Brasil por meio da inovação e da Transformação Digital.  Para evoluir ao longo de todos estes anos, a Softex se reinventa constantemente, um esforço que se traduz em uma série de conquistas envolvendo iniciativas de apoio, desenvolvimento, promoção e fomento. Em seu portfólio de execução estão, entre outros, os programas StartUp Brasil, Inova Maranhão, TechD, Brasil Mais TI, Conexão Startup Brasil, Brasil IT+ e MPS.BR.

Para mais informações acesse www.softex.br

Siga a entidade no LinkedIn, Facebook, Instagram e Twitter