No estande brasileiro, os visitantes poderão conhecer desde soluções para ensino de matemática e de programação para crianças até ferramentas de ensino remoto e gestão de centros escolares

Em mais uma iniciativa do projeto de promoção de exportações do setor de software e serviços de TI, desenvolvido em parceria pela Softex com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), nove empresas especializadas em softwares para o segmento de educação estarão presentes, de 20 e 24 de junho, em Porto Rico, na edição 2016 da Virtual Educa.

O evento, patrocinado nesta edição pelo Governo de Porto Rico, é realizado a cada ano em um país membro da Organização dos Estados Americanos (OEA), que gerencia essa iniciativa multilateral voltada para a realização de projetos inovadores no campo da educação e da formação profissional visando ao desenvolvimento humano. Em 2015, ele recebeu mais de 12.700 visitantes presenciais e outros 25 mil virtuais de 36 países.

No ano passado, a Softex firmou a renovação de um convênio de colaboração com a Virtual Educa que prevê a promoção das empresas brasileiras com produtos e serviços voltados para a educação na região das Américas.

“Entendemos a Virtual Educa como um parceiro estratégico, pois pode desempenhar o papel de unir e consolidar a América Latina na Educação. Tanto as escolas públicas como as instituições de ensino privadas dos países desta região apresentam uma forte demanda por soluções capazes de diminuir as lacunas de aprendizagem, como ocorre no Brasil. Somente com a cooperação entre nossos países vizinhos podemos ganhar musculatura e assim nos tornar competidores globais. Para isso, é necessário estimular a formação de parcerias entre as nossas empresas e trocar experiências e dados de mercado, justamente a proposta desse evento. No ano passado, nossa delegação retornou do encontro com mais de 70 contatos de negócios”, analisa Ruben Delgado, presidente da Softex.

Apresentando-se sob a marca Brasil IT+, que identifica internacionalmente o setor de TI brasileiro, Positivo, Microkids, P3D, EiTV, FGX, Inteceleri, Intelit/CanalEducação, Educandus e FazGame apresentarão aos visitantes do evento um portfolio extenso e inovador que inclui desde soluções para ensino de programação para crianças, até aplicativos para aprendizado de matemática, gestão de centros escolares e ferramentas de ensino a distância.

Especializada em informática educacional, a capixaba Microkids firmou, a partir de contato iniciado na Virtual Educa no ano passado em Guadalajara, um projeto-piloto com a distribuidora TI Solva para a introdução de sua solução Brincando com Códigos em escolas estaduais da província de Querétaro, no México, a partir de 2017.

“Trata-se de uma ferramenta para a construção de games no ambiente escolar através do emprego da lógica de programação, uma temática muito atual. Prova disso é que até 2020 toda a União Europeia vai trabalhar com a lógica de programação no currículo escolar, pois ela ensina o aluno a pensar. Como protagonistas, os alunos planejam, elaboram e tomam todas as decisões, desenvolvendo assim todas as áreas de conhecimento”, destaca Lisalba Camargo, diretora de desenvolvimento da Microkids.

Como parte da programação de palestras do Virtual Educa 2016, Ana Beatriz Pires, gerente de projeto da Softex, participará do painel “Experiências de incentivo à aprendizagem” destacando os resultados positivos alcançados pela inovadora plataforma de ensino a distância (EAD) Brasil Mais TI que contabiliza atualmente mais de 220 mil estudantes cadastrados e mais de 450 mil cursos em andamento.

“Estimular o jovem a seguir uma carreira na área de TI é um desafio mundial e nós podemos auxiliar outros países a replicar o sucesso do Brasil Mais TI compartilhando nossa expertise em atrair estudantes, empresas e em compreender em profundidade tanto esse público como também o mercado”, explica Ana Pires.

Antes da solenidade de abertura, o presidente da Softex participará da reunião anual do Patronato Virtual Educa, órgão de apoio institucional ao evento, integrado por representantes de diversos países membros da OEA. “Esse encontro promove a troca de informações sobre políticas públicas em desenvolvimento na região com o objetivo de alcançar a inclusão através da inovação na educação”, conclui Ruben Delgado.

No estande brasileiro, os visitantes poderão conhecer desde soluções para ensino de matemática e de programação para crianças até ferramentas de ensino remoto e gestão de centros escolares

Em mais uma iniciativa do projeto de promoção de exportações do setor de software e serviços de TI, desenvolvido em parceria pela Softex com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), nove empresas especializadas em softwares para o segmento de educação estarão presentes, de 20 e 24 de junho, em Porto Rico, na edição 2016 da Virtual Educa.

O evento, patrocinado nesta edição pelo Governo de Porto Rico, é realizado a cada ano em um país membro da Organização dos Estados Americanos (OEA), que gerencia essa iniciativa multilateral voltada para a realização de projetos inovadores no campo da educação e da formação profissional visando ao desenvolvimento humano. Em 2015, ele recebeu mais de 12.700 visitantes presenciais e outros 25 mil virtuais de 36 países.

No ano passado, a Softex firmou a renovação de um convênio de colaboração com a Virtual Educa que prevê a promoção das empresas brasileiras com produtos e serviços voltados para a educação na região das Américas.

“Entendemos a Virtual Educa como um parceiro estratégico, pois pode desempenhar o papel de unir e consolidar a América Latina na Educação. Tanto as escolas públicas como as instituições de ensino privadas dos países desta região apresentam uma forte demanda por soluções capazes de diminuir as lacunas de aprendizagem, como ocorre no Brasil. Somente com a cooperação entre nossos países vizinhos podemos ganhar musculatura e assim nos tornar competidores globais. Para isso, é necessário estimular a formação de parcerias entre as nossas empresas e trocar experiências e dados de mercado, justamente a proposta desse evento. No ano passado, nossa delegação retornou do encontro com mais de 70 contatos de negócios”, analisa Ruben Delgado, presidente da Softex.

Apresentando-se sob a marca Brasil IT+, que identifica internacionalmente o setor de TI brasileiro, Positivo, Microkids, P3D, EiTV, FGX, Inteceleri, Intelit/CanalEducação, Educandus e FazGame apresentarão aos visitantes do evento um portfolio extenso e inovador que inclui desde soluções para ensino de programação para crianças, até aplicativos para aprendizado de matemática, gestão de centros escolares e ferramentas de ensino a distância.

Especializada em informática educacional, a capixaba Microkids firmou, a partir de contato iniciado na Virtual Educa no ano passado em Guadalajara, um projeto-piloto com a distribuidora TI Solva para a introdução de sua solução Brincando com Códigos em escolas estaduais da província de Querétaro, no México, a partir de 2017.

“Trata-se de uma ferramenta para a construção de games no ambiente escolar através do emprego da lógica de programação, uma temática muito atual. Prova disso é que até 2020 toda a União Europeia vai trabalhar com a lógica de programação no currículo escolar, pois ela ensina o aluno a pensar. Como protagonistas, os alunos planejam, elaboram e tomam todas as decisões, desenvolvendo assim todas as áreas de conhecimento”, destaca Lisalba Camargo, diretora de desenvolvimento da Microkids.

Como parte da programação de palestras do Virtual Educa 2016, Ana Beatriz Pires, gerente de projeto da Softex, participará do painel “Experiências de incentivo à aprendizagem” destacando os resultados positivos alcançados pela inovadora plataforma de ensino a distância (EAD) Brasil Mais TI que contabiliza atualmente mais de 220 mil estudantes cadastrados e mais de 450 mil cursos em andamento.

“Estimular o jovem a seguir uma carreira na área de TI é um desafio mundial e nós podemos auxiliar outros países a replicar o sucesso do Brasil Mais TI compartilhando nossa expertise em atrair estudantes, empresas e em compreender em profundidade tanto esse público como também o mercado”, explica Ana Pires.

Antes da solenidade de abertura, o presidente da Softex participará da reunião anual do Patronato Virtual Educa, órgão de apoio institucional ao evento, integrado por representantes de diversos países membros da OEA. “Esse encontro promove a troca de informações sobre políticas públicas em desenvolvimento na região com o objetivo de alcançar a inclusão através da inovação na educação”, conclui Ruben Delgado.

Jovens brasileiros terão a oportunidade de aprimorar seus currículos e se preparar para o mercado de trabalho

myce-microsoft-Logo-2

A construção de uma carreira é um caminho de aprendizado constante, pontuado pela superação de desafios, perspectivas, competição, cenários de crise e mudanças, que exige capacitação dos profissionais. Atenta a isso, a Microsoft firmou um acordo com a Softex, entidade responsável pela gestão do programa Brasil Mais TI do governo federal, para oferecer cursos sobre tecnologia. Inicialmente, são seis opções de conteúdos técnicos elaborados pelos profissionais da empresa para contribuir com a capacitação dos jovens para o mercado de trabalho.

Os cursos oferecidos gratuitamente pela Microsoft a princípio são: Conceitos básicos desenvolvimento de software, Fundamentos da computação em nuvem, Fundamentos da Linguagem C#, Fundamentos de Rede, MVA TOP 10 Recursos do Windows 10 e Office 365. Os treinamentos são voltados para estudantes que estão iniciando a vida profissional, e representam uma oportunidade de qualificação para prepará-los ainda mais para seu primeiro emprego na área de tecnologia. Ao concluir as aulas pelo portal Brasil Mais TI, os jovens recebem certificado. A parceira se estende a longo prazo e novos cursos serão inseridos no decorrer do ano.

Com mais de 200 mil estudantes cadastrados, o portal Brasil Mais TI é um projeto financiado pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, com coordenação técnica da Softex, e tem como objetivo despertar o interesse dos jovens pela área de tecnologia. Diversas empresas nacionais e internacionais do setor colaboram com oferta de treinamentos.

Segundo Richard Chaves, Diretor de Inovação da Microsoft Brasil, “nós temos um compromisso com o desenvolvimento e a competitividade do Brasil e sabemos que a Educação é o principal alicerce para avançar nesse sentido. Temos diversas iniciativas na área educacional e esta com o Brasil Mais TI reforça o nosso apoio à capacitação de jovens, preparando-os para o mercado de trabalho e incentivando-os na área da tecnologia em prol de um mundo melhor”.

“Um dos principais gargalos da indústria de software e serviços de TI é o crescente déficit de profissionais qualificados, que poderá atingir a preocupante marca de 408 mil em 2020. Um dos principais objetivos deste projeto é justamente atrair o interesse dos jovens para uma formação em uma das muitas opções disponíveis nas carreiras tecnológicas, que oferecem também salários bastante atraentes”, explica Diônes Lima, vice-presidente de operações (COO) da Softex.

Jovens brasileiros terão a oportunidade de aprimorar seus currículos e se preparar para o mercado de trabalho

myce-microsoft-Logo-2

A construção de uma carreira é um caminho de aprendizado constante, pontuado pela superação de desafios, perspectivas, competição, cenários de crise e mudanças, que exige capacitação dos profissionais. Atenta a isso, a Microsoft firmou um acordo com a Softex, entidade responsável pela gestão do programa Brasil Mais TI do governo federal, para oferecer cursos sobre tecnologia. Inicialmente, são seis opções de conteúdos técnicos elaborados pelos profissionais da empresa para contribuir com a capacitação dos jovens para o mercado de trabalho.

Os cursos oferecidos gratuitamente pela Microsoft a princípio são: Conceitos básicos desenvolvimento de software, Fundamentos da computação em nuvem, Fundamentos da Linguagem C#, Fundamentos de Rede, MVA TOP 10 Recursos do Windows 10 e Office 365. Os treinamentos são voltados para estudantes que estão iniciando a vida profissional, e representam uma oportunidade de qualificação para prepará-los ainda mais para seu primeiro emprego na área de tecnologia. Ao concluir as aulas pelo portal Brasil Mais TI, os jovens recebem certificado. A parceira se estende a longo prazo e novos cursos serão inseridos no decorrer do ano.

Com mais de 200 mil estudantes cadastrados, o portal Brasil Mais TI é um projeto financiado pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, com coordenação técnica da Softex, e tem como objetivo despertar o interesse dos jovens pela área de tecnologia. Diversas empresas nacionais e internacionais do setor colaboram com oferta de treinamentos.

Segundo Richard Chaves, Diretor de Inovação da Microsoft Brasil, “nós temos um compromisso com o desenvolvimento e a competitividade do Brasil e sabemos que a Educação é o principal alicerce para avançar nesse sentido. Temos diversas iniciativas na área educacional e esta com o Brasil Mais TI reforça o nosso apoio à capacitação de jovens, preparando-os para o mercado de trabalho e incentivando-os na área da tecnologia em prol de um mundo melhor”.

“Um dos principais gargalos da indústria de software e serviços de TI é o crescente déficit de profissionais qualificados, que poderá atingir a preocupante marca de 408 mil em 2020. Um dos principais objetivos deste projeto é justamente atrair o interesse dos jovens para uma formação em uma das muitas opções disponíveis nas carreiras tecnológicas, que oferecem também salários bastante atraentes”, explica Diônes Lima, vice-presidente de operações (COO) da Softex.

Conteúdo foi desenvolvido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) para o Brasil Mais TI empregando metodologia de fácil assimilação e aulas exemplificadas

Gestão de Riscos em TI é o mais novo curso oferecido gratuitamente pela plataforma de ensino a distância Brasil Mais TI, um dos maiores projetos mundiais de capacitação gratuita de programadores (MOOC), que tem gestão, execução e coordenação da Softex.

Com carga horária de 40 horas, o curso tem como público-alvo estudantes, profissionais da área de informática e interessados no tema e é todo ministrado em Língua Portuguesa, com aulas exemplificadas empregando uma metodologia de fácil assimilação, com explicação gradual e conteúdo organizado para otimização de tempo.

Dividido em dez capítulos, o conteúdo programático inclui, entre outros tópicos, uma introdução à gestão de riscos; identificação e avaliação das ameaças; além de vulnerabilidades e consequências, tratamento, comunicação e monitoramento dos riscos. Os interessados em participar necessitam ter um reprodutor de mídia digital instalado em um computador com Internet 6.0, Google Chrome ou Mozila Firefox i, Adobe Reader 7 ou superior, Flash Player 7 ou superior e banda mínima de 64 kbps.

“Decidimos incluir esse curso, desenvolvido e doado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) aos mais de 30 já oferecidos pela plataforma, por se tratar de um conteúdo extremamente rico e de forte interesse para o mercado”, explica Ana Beatriz Pires, gestora de projeto da Softex.

Acessado em mais de 90 países, o Brasil Mais TI é um projeto inovador desenvolvido pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), sob a coordenação técnica da Softex, e que atua em três pontos essenciais da formação profissional: conhecimento, capacitação e oportunidade. Além do ensino de Inglês, a plataforma disponibiliza mais de 30 cursos, totalizando cerca de 1.000 horas de aula. Seu público-alvo são jovens entre 16 a 23 anos que buscam uma oportunidade no mercado e também os que ainda não sabem que carreira seguir.

Segundo levantamento realizado pelo Observatório Softex, unidade de inteligência, estudos e pesquisas da entidade, o déficit de 408 mil profissionais de TI estimado para 2022 pode significar uma perda de receita de R$ 167 bilhões entre 2010 e 2020 para o setor.

“A proposta da plataforma Brasil Mais TI é contribuir para mudar esse quadro, despertando a vocação e assim estimulando a entrada de novos profissionais em um setor em franco processo de crescimento e considerado estratégico para o Brasil”, complementa Ana Beatriz Pires.

Para se inscrever no curso Gestão de Riscos em TI na plataforma Brasil Mais TI acesse http://goo.gl/6J2KAl

Conteúdo foi desenvolvido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) para o Brasil Mais TI empregando metodologia de fácil assimilação e aulas exemplificadas

Gestão de Riscos em TI é o mais novo curso oferecido gratuitamente pela plataforma de ensino a distância Brasil Mais TI, um dos maiores projetos mundiais de capacitação gratuita de programadores (MOOC), que tem gestão, execução e coordenação da Softex.

Com carga horária de 40 horas, o curso tem como público-alvo estudantes, profissionais da área de informática e interessados no tema e é todo ministrado em Língua Portuguesa, com aulas exemplificadas empregando uma metodologia de fácil assimilação, com explicação gradual e conteúdo organizado para otimização de tempo.

Dividido em dez capítulos, o conteúdo programático inclui, entre outros tópicos, uma introdução à gestão de riscos; identificação e avaliação das ameaças; além de vulnerabilidades e consequências, tratamento, comunicação e monitoramento dos riscos. Os interessados em participar necessitam ter um reprodutor de mídia digital instalado em um computador com Internet 6.0, Google Chrome ou Mozila Firefox i, Adobe Reader 7 ou superior, Flash Player 7 ou superior e banda mínima de 64 kbps.

“Decidimos incluir esse curso, desenvolvido e doado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) aos mais de 30 já oferecidos pela plataforma, por se tratar de um conteúdo extremamente rico e de forte interesse para o mercado”, explica Ana Beatriz Pires, gestora de projeto da Softex.

Acessado em mais de 90 países, o Brasil Mais TI é um projeto inovador desenvolvido pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), sob a coordenação técnica da Softex, e que atua em três pontos essenciais da formação profissional: conhecimento, capacitação e oportunidade. Além do ensino de Inglês, a plataforma disponibiliza mais de 30 cursos, totalizando cerca de 1.000 horas de aula. Seu público-alvo são jovens entre 16 a 23 anos que buscam uma oportunidade no mercado e também os que ainda não sabem que carreira seguir.

Segundo levantamento realizado pelo Observatório Softex, unidade de inteligência, estudos e pesquisas da entidade, o déficit de 408 mil profissionais de TI estimado para 2022 pode significar uma perda de receita de R$ 167 bilhões entre 2010 e 2020 para o setor.

“A proposta da plataforma Brasil Mais TI é contribuir para mudar esse quadro, despertando a vocação e assim estimulando a entrada de novos profissionais em um setor em franco processo de crescimento e considerado estratégico para o Brasil”, complementa Ana Beatriz Pires.

Para se inscrever no curso Gestão de Riscos em TI na plataforma Brasil Mais TI acesse http://goo.gl/6J2KAl