MPS permite melhoria contínua de processos e do desempenho empresarial na In Forma Software

Por Karen Kornilovicz
Em 6 de março de 2013

A In Forma, empresa de Recife-PE, acaba de concluir sua avaliação com base no modelo MPS de Software (MPS-SW) no nível C. Em 2005, ela se tornou a primeira empresa brasileira a obter uma avaliação oficial MPS, então no nível G, dando início a um processo de contínua evolução na maturidade de seus processos de software.

Fundada em 1993 por dois jovens que acabavam de concluir mestrado em computação na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a empresa teve dificuldades em estabelecer um processo ordenado de desenvolvimento de software em seus primeiros dez anos de atividades. Isso só ocorreu em 2005, quando alcançou o nível G do modelo MPS antes de qualquer outra empresa do Brasil. A partir de 2008, iniciou sua expansão pelo país e, em 2009, conquistou o nível F.

“O carimbo do MPS.BR ajudou a quebrar os preconceitos de clientes do Sul e do Sudeste em relação a uma empresa nordestina que insistia em concorrer com as maiores multinacionais de software em gestão de ativos do setor elétrico. Hoje, quase metade da transmissão de energia elétrica do Brasil utiliza nossa solução. Com a conquista do nível C do MPS, acreditamos que a qualidade será outra vez um fator crítico para essa nova fase em que nós, líderes na transmissão, buscamos consolidar nossa participação em outros mercados”, destaca Ismar Neumann Kaufman, sócio-diretor da In Forma.

Já o diretor-geral da empresa, Luiz Vieira Silva e Filho, entende ser fundamental o papel do modelo MPS de Software no aperfeiçoamento do processo produtivo. “Por meio de indicadores de desempenho, temos conseguido atuar mais objetivamente, atendendo o cliente com eficiência e garantindo a eficácia necessária para atingirmos os resultados corporativos esperados”, pondera.

Ana Regina Rocha, da Instituição Avaliadora MPS COPPE/UFRJ, acompanhou toda a evolução. “Fui avaliadora líder na avaliação MPS – nível G da In Forma. Naquele momento, o modelo MPS estava começando e aquela era a primeira avaliação do programa MPS.BR. A In Forma também ainda era uma empresa pequena. Agora, o MPS está completando dez anos e tive a honra de realizar na empresa a avaliação MPS – nível C. Pude ver uma organização que cresceu na maturidade de seus processos, no tamanho de colaboradores e de clientes. Crescemos juntos: o MPS e a In Forma. E continuaremos crescendo”, relembra.

Esta visão também é compartilhada pelo gerente de qualidade da SOFTEX, Nelson Franco. “Ao evoluir no modelo MPS da baixa para a média maturidade, a In Forma aprimorou sua gerência de projetos de software e melhorou continuamente seus processos, além de obter significativos ganhos em seu desempenho empresarial”, explica.

Para Kival Weber, coordenador executivo do Programa MPS.BR, “nos próximos anos, o desafio da In Forma será duplo, seja buscando evoluir até a alta maturidade do modelo MPS de Software (MPS-SW) seja introduzindo na empresa o modelo MPS de Serviços (MPS-SV)”.

Coordenado pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX) o programa mobilizador MPS.BR – Melhoria de Processo do Software Brasileiro (www.softex.br/mpsbr) foi lançado em 2005 e já alcançou a expressiva marca de 430 empresas avaliadas em todas as regiões do país. A iniciativa conta com investimentos das empresas e apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID/FOMIN) e SEBRAE.

Para 2013, a meta da SOFTEX é superar as 500 avaliações, dando também sequência ao processo de internacionalização do modelo MPS.