No Brasil, o setor atacadista vem ganhando força nos últimos anos, dados da pesquisa do Ranking ABAD/Nielsen 2019 apontam que o setor faturou R$ 261,8 bilhões em 2018.

Neste cenário, as empresas de atacado de autosserviço apresentam o maior crescimento, o modelo “atacarejo” ganhou o país e permitiu alcançar o aumento de 12% no faturamento destas empresas.

O investimento em tecnologia é realidade no mercado, a busca por soluções tecnológicas que garantam agilidade, produtividade e acesso a dados passaram a ditar a estratégia de inovação. Com a crescente do setor, as empresas vêm buscando diferenciais na experiência do consumidor, seja pela opção de novos canais de venda, design dos espaços físicos ou interatividade.

O Makro é um atacadista de autosserviço especializado que faz parte do grupo holandês SHV, um dos maiores holdings privados do mundo, que opera em cinco países da América do Sul, com mais de 120 lojas na Argentina, Brasil, Colômbia, Peru e Venezuela.

Presente no Brasil desde 1972, com a inauguração da primeira unidade atacadista a operar pelo sistema de autosserviço nas Américas, a empresa tem o pioneirismo e a inovação em sua essência.

Hoje possui 24 lojas concentradas no estado de São Paulo. A visão da empresa de ser o melhor parceiro para clientes, profissionais e famílias guia a expansão da marca.

Motivação

Em um mercado altamente competitivo, o Makro vem buscando diferenciais em seu posicionamento estratégico. Nesse movimento, a inovação aberta se apresenta como um dos caminhos que a empresa vem trilhando.

Para o Makro, as startups apresentam-se como uma oportunidade de acelerar a implementação de inovação na empresa, uma vez que possuem produtos e serviços para serem testados, que levariam muito mais tempo se desenvolvidos internamente. Fato que permite a expansão das competências internas da empresa que tem um core business tipicamente tradicional.

Motivados pela necessidade de manter-se atualizados quanto às tendências tecnológicas aplicáveis ao setor, o Makro enxerga no relacionamento com startups a chance de estar à frente no mercado e obter novas formas de trabalho e mindset para cultura interna.

Motivados pela necessidade de manter-se atualizados quanto às tendências tecnológicas aplicáveis ao setor, o Makro enxerga no relacionamento com startups a chance de estar à frente no mercado e obter novas formas de trabalho e mindset para cultura interna.

A Interação com Startups Conecta Startup Brasil

O Makro tem atuado com startups, principalmente no modelo de provas de conceito, além da participação em programas parceiros, como o Programa Conecta Startup Brasil.

Para esse relacionamento ser exitoso, a empresa estabeleceu um processo interno que suporta as ações com startups. As ações iniciam-se com a seleção de desafios de negócio que sejam prioridade na estratégia da empresa e que disponham de líderes com mindset adequado para trabalhar em conjunto com as startups.

A área de inovação tem papel fundamental nesse processo, realizando a triagem das startups com potencial de parceria e conectando as áreas clientes dos desafios para a decisão de seguir com a Prova de Conceito com duração média de dois a três meses.

O projeto é acompanhado pela área de inovação, com o objetivo de acelerar os processos internos e mitigar os riscos e gargalos identificados ao longo do projeto. A área cliente participa do processo a fim de garantir a relevância da prova de conceito e a geração de valor.

Cientes do desafio de envolver o board da corporação, o Makro criou um comitê de acompanhamento formado por diretores de áreas transversais e o CEO da empresa. O papel desse grupo é manter o alinhamento e antecipar necessidades específicas de cada projeto, e especialmente, engajar a liderança na inovação aberta para criação da cultura interna.

Conecta Startup Brasil

O Makro faz parte das empresas selecionadas no Programa Conecta Startup Brasil e tem se relacionado com duas startups pela iniciativa, a WhyWaste e a Flink, que estão atuando em desafios da empresa.

Para esse relacionamento, a empresa envolveu a área de inovação, áreas clientes e também a sua liderança, com o intuito de garantir o engajamento interno no processo de acompanhamento dos projetos.

Case: Whywaste

O Makro buscou uma solução externa para resolver o gargalo da gestão de perdas de produtos por expiração da validade. Embora possua um aplicativo próprio que atua neste problema, a empresa identificou que uma solução externa seria capaz de atender sua demanda com maior flexibilidade e automação.

A decisão de buscar uma solução no mercado coincidiu com a oportunidade do Programa Conecta Startup Brasil na conexão com a WhyWaste. A startup oferta uma solução de gestão de datas de validade para redução das perdas em supermercado.

A conexão gerou o desenvolvimento de um piloto estruturado em duas fases. A primeira tem o foco na disponibilização da plataforma, cadastrando produtos de uma única loja e sem integração. O objetivo desta fase era avaliar se a loja usaria a ferramenta e se auxiliaria a operação, gerando valor para a gestão. A etapa dois do piloto teve a participação de uma loja inteira cadastrada na plataforma e a estruturação de um novo processo, com o intuito de avaliar o impacto da ferramenta em produtividade e redução de perdas.

Na avaliação do Makro, o piloto tem sido bem-sucedido. A primeira etapa manteve os colaboradores engajados no uso da ferramenta e obteve resultados significativos na operação. Com os resultados satisfatórios, a etapa dois obteve apoio da liderança para ampliar a atuação da startup.

Para a coordenadora Nathália Andrade, o engajamento da liderança tem fortalecido o relacionamento e ampliado as chances de implementação da solução na corporação.

Case: Flink

No Programa Conecta Startup Brasil, o Makro se conectou ainda com a Flink, uma startup focada em melhorar a experiência de compra dos clientes de supermercados.

Com um projeto early stage, a Flink obteve no relacionamento com o Makro apoio no processo de validação e desenvolvimento do produto. A relação de apoio mútuo gerou aprendizado e fortalecimento da conexão.

O Makro vem atuando por meio de mentorias e apoio técnico para a startup. A relação que envolve o desenvolvimento de uma prova de conceito em andamento em uma unidade do Makro tem o objetivo de identificar aspectos da experiência dos clientes na loja e apoiar na tomada de decisões, identificando aspectos como: diminuição de filas, acesso às informações sobre produtos de forma instantânea, pagamento automatizado e dados sobre histórico de compras.

A conexão é observada pelo Makro como uma oportunidade de Transformação Digital no varejo, aproximando a companhia do consumidor e gerando novas experiências.

Aprendizados

A experiência de conexão com startups trouxe ao Makro importantes aprendizados para evoluir neste modelo de relacionamento e inovação aberta.

  • É imprescindível manter o alinhamento com a liderança nos projetos

    Criar momentos para discutir o projeto, criar rotinas de alinhamento, encontrar um modelo que funcione para a empresa irão aumentar as chances de sucesso do projeto.

  • Envolver a área fim

    A área que será a usuária da solução é o principal stakeholder, ela deve receber ainda mais atenção e ter um alinhamento ainda mais próximo para garantir o sucesso do projeto e a futura contratação. Ela deve ser parceira da área de inovação para vender o projeto internamente e manter o engajamento.

  • Por mais maduro que o produto da startup possa parecer, muitos ajustes serão necessários

    É preciso compreender que a startup está amadurecendo a solução tanto quanto a empresa está testando sua efetividade. Um canal aberto e compreensão de que ajustes e erros irão acontecer são importantes para o alinhamento de expectativas e o sucesso do projeto. Ademais, o piloto deve ser construído de forma a capturar o valor que a startup promete entregar, sem necessitar grandes esforços de desenvolvimento e customização de nenhuma das partes.

  • Estamos sempre aprendendo com nossos clientes e parceiros

    A empresa sempre tem algo novo para aprender se estiver aberta a ouvir. As startups estão conversando com clientes e podem trazer novos pontos de vista, novos insights. Os parceiros estão conversando com outras empresas, sejam concorrentes ou outras empresas da cadeia, e podem trazer também insights, melhores práticas e problemas e oportunidades não percebidos.

    Aprendizados que irão guiar os relacionamentos futuros do Makro com as startups e que aumentam as chances de sucesso.

A cadeia de valor do setor automotivo vem aperfeiçoando sua proposta de valor, cenário que promove a inovação e, portanto, oportunidades para conexão com startups e parceiros de inovação aberta.

Formada pela fusão dos grupos Fiat e Chrysler no ano de 2014, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) possui mais de 192 mil funcionários e atuação em mais de 130 mercados e 40 países. Com presença mundial, a holding detém as marcas Fiat, Alfa Romeo, Chrysler, Dodge, Fiat Professional, Jeep, Lancia, Ram, Maserati, Abarth, Mopar e SRT, além de Comau e Teksid.

A FCA atua na cadeia produtiva do setor automotivo desde o projeto, fabricação e venda de veículos e peças automotivas, além de serviços relacionados, componentes e sistemas de produção em todo o mundo.

A planta de Betim é a maior da FCA do mundo e produz oito modelos de automóveis e comerciais leves, além de duas linhas de motores e transmissões. Inaugurada em 9 de julho de 1976, a unidade opera em sintonia com a planta de Córdoba, na Argentina.

O Polo Automotivo Jeep completa a plataforma produtiva da FCA na América Latina. Esta, esta é a mais moderna fábrica do grupo no mundo e representa o estado da arte em termos de produção automotiva e de gestão, incorporando desde sua concepção as melhores práticas orientadas para eficiência, qualidade e desempenho.

A fábrica ocupa uma área construída de 260 mil metros quadrados e produz três modelos que se destacam em suas categorias: a picape Fiat Toro e os Jeep Renegade e Compass. O perímetro fabril também engloba o Parque de Fornecedores, um complexo de 12 edifícios, que abrigam 16 empresas responsáveis por 17 linhas de produtos. O Parque de Fornecedores ocupa uma área de 270 mil metros quadrados e novos fornecedores continuam a se instalar na área de influência do polo automotivo.

Essas instalações industriais permitem que a FCA ofereça uma ampla gama de produtos, adequados às mais diferentes necessidades e perfis dos consumidores do Brasil e América Latina.

Motivação

A FCA atua com startups em diversos modelos de relacionamento, motivados pela resolução de problemas, identificação de novos modelos de negócios e expansão do mercado. A FCA realiza interação por meio de eventos, espaço físico, programa de ideias, programas parceiros, provas de conceito, fornecimento e codesenvolvimento.

Para este material, tem-se como foco a participação no Programa Conecta Startup Brasil. Segundo as coordenadoras do Programa, Amanda Diniz e Bruna Soly, o programa possibilita validar processos internos e fortalecer a cultura da inovação aberta, entendendo que as startups podem apresentar competências e conhecimentos que nem sempre estão dentro da corporação.

Além disso, a conexão com as startups em um processo de cocriação para o desenvolvimento de soluções traz agilidade e vantagens competitivas em um mercado em transformação acelerada.

A FCA entende que as conexões com as startups são importantes para identificar novas oportunidades para tornar a empresa ainda mais eficiente, revisando práticas de gestão, processos internos e produção.

A Interação com Startups Conecta Startup Brasil

A FCA realiza diversas iniciativas estruturadas de relacionamento com startups, dentre estas destacam-se a participação no Programa Nexos e no FIEMG Lab, o Hub FCA, a realização de provas de conceito, a participação em programas de parceiros, entre outros.

O Hub FCA é um espaço localizado no Polo Automotivo Fiat em Betim que foi inspirado nos novos modelos de trabalho. O espaço possui cerca de 400 metros quadrados ocupados por núcleos formados por funcionários e parceiros. O HUB foi idealizado para promover a interação entre pessoas, relacionamentos e culturas com um olhar para as tendências do consumidor e oportunidades de inovação.

Destaca-se neste material, o programa parceiro, Conecta Startup Brasil, uma iniciativa que promove a conexão de startups e corporações em ação integrada para a resolução de desafios tecnológicos.

Através deste programa parceiro, a FCA identificou a oportunidade de obter capilaridade para possíveis soluções tecnológicas. O processo para participação na iniciativa incluiu o mapeamento de demandas e equipes internas para se conectarem com as startups early stage e a priorização dos desafios com critérios definidos: alinhamento à estratégia da FCA e ao perfil das startups early stage, aderência temática, prazo de desenvolvimento e potencial de transformação digital.

Com maturidade e experiências prévias no relacionamento com startups, a empresa sempre teve clareza de que o importante é que o projeto seja atrativo para ambos, FCA e startup, e que haja alinhamento quanto à visão de negócio. A transparência no processo permitiu que a empresa identificasse duas startups para iniciarem o relacionamento. Os desafios propostos,na área de meio ambiente, saúde e segurança do trabalho, foram parte do caminho para envolver toda a empresa na cultura da inovação aberta.

No Programa, a empresa está conectada com as startups NextCam e EagleCare, negócios com entregas distintas, porém com o mesmo sentimento e vontade de solucionar de forma conjunta os desafios da FCA.

Para startups early stage, que são o foco desse Programa, os benefícios são inúmeros: a oportunidade de se relacionar com diversas áreas de uma grande corporação, a troca de experiências e conhecimento técnicos, e o processo de cocriação conjunta.

Já para a FCA, a conexão com startups permite ampliar a consciência quanto à relevância da inovação aberta neste contexto de mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo. Reconhecer que o conhecimento é mutável e abrangente, permite abrir- -se para o aprendizado e perceber que a interação é fundamental. É compreender que as oportunidades atuais demandam competências e conhecimentos que nem sempre estarão dentro da empresa.

Nesse contexto, mobilizar parceiros e startups em um processo de cocriação para o desenvolvimento de soluções traz agilidade e vantagens competitivas para o mercado em transformação acelerada, como é o caso do setor automotivo.

Resultados

As conexões realizadas no Programa Conecta Startup Brasil estão em desenvolvimento de provas de conceito e os resultados quantitativos não foram consolidados.

No entanto, o impacto causado na cultura interna da empresa é perceptível. A interação com diversas áreas e a rápida adaptação frente a pandemia trouxeram aprendizados quanto às metodologias ágeis, cocriação e tendências de inovação.

Aprendizados

Os desafios enfrentados ao se relacionar com startups permeiam a necessidade de compreensão coletiva da corporação de que não se trata de um fornecedor padrão já consolidado no mercado. É compreender que são necessárias adequações no processo interno aumentar as chances de êxito na relação.

Como grande lição aprendida da conexão com startup, a FCA destaca que a interação precisa ocorrer não só com a área demandante. É preciso envolver diversas outras áreas neste relacionamento. Nesse processo, ter uma rede interna aberta à conexão com startups faz a diferença na agilidade e mitigação de entraves.

Mais de 2 mil pessoas já foram beneficiadas pelo projeto da startup de impacto social SDW (Safe Drinking Water for All), fundada em 2015 com o propósito de desenvolver tecnologias hídricas e de saneamento que proporcionem mais saúde e qualidade de vida à população de maior vulnerabilidade socioambiental.

Em parceria com a Fundação Vale, a SDW está realizando um projeto-piloto com o dispositivo Aqualuz, que torna a água própria para consumo apenas com a radiação solar, junto a dez famílias da comunidade de Vila Pindaré, no município de Buriticupu, distante cerca de 400 km da cidade de São Luis, no Estado do Maranhão. Para a sua realização, a iniciativa conta com o apoio do programa Conecta Startup Brasil, uma iniciativa do MCTI, ABDI e Softex, em parceria com o CNPq, que se destaca por apoiar empresas de base tecnológica em estágio inicial.

O Aqualuz é a única tecnologia no mundo que realiza o tratamento de água de cisternas usando a luz solar, sem nenhum tipo de filtro ou de aditivo químico. Trata-se de um reservatório com superfície de vidro, diretamente acoplado à cisterna e que pode ser instalado em apenas 10 minutos. A manutenção é feita utilizando apenas água e sabão. O equipamento tem vida útil de até 20 anos.

Ele funciona assim: a água armazenada na cisterna é bombeada até o dispositivo e o tratamento acontece automaticamente. Um indicador sinaliza quando o processo está concluído. Por sua simplicidade no manuseio, na manutenção, pelo potencial de impacto positivo e transformador no meio ambiente, o Aqualuz foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“Foi no âmbito do Conecta Startup Brasil que conseguimos estabelecer, construir e manter a conexão com a Vale que é, além de nossa parceira, também cliente. O programa foi responsável por essa sinergia mútua. Nos próximos meses, esperamos firmar um acordo para a aquisição de mais 200 unidades. Assim, poderemos beneficiar mais quatro comunidades em Buriticupu”, destaca Jhonathan Lima, coordenador de projetos da SDW.

A gerente da Fundação Vale, Pamella De-Cnop, explica que a tecnologia foi implantada após conexão da Vale com a startup SDW (Safe Drinking Water for All) por meio do programa Conecta Startup Brasil, que fomenta o ecossistema brasileiro de inovação. O projeto segue sendo monitorado e espera-se que ele possa ser expandido futuramente. “Temos muita alegria em poder contribuir para o acesso a uma necessidade básica da população que é a água potável. Pela simplicidade do projeto as próprias famílias têm autonomia para gerir o equipamento. Esperamos poder contribuir para que o acesso à água potável torne-se possível para mais famílias no interior do Maranhão”, destaca.

O acesso à água potável e ao saneamento básico é considerado um direito básico do ser humano. Segundo dados das Organizações das Nações Unidas (ONU), em 2015, 2,1 bilhões de pessoas não tinham acesso à água potável, enquanto 4,5 bilhões não tinham instalações sanitárias geridas de forma segura. No Brasil, existem cerca de 1,4 milhão de cisternas construídas.

A SDW está presente atualmente nos estados da Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Sergipe. Aleta da empresa é operar em todos os nove estados do Nordeste e também no norte de Minas Gerais.


Sobre o Conecta Startup Brasil

O Conecta Startup Brasil é um programa de inovação aberta que já impactou mais de 20.000 pessoas em todo o país e que tem como objetivo fomentar projetos de inovação que tenham compatibilidade com o mercado e com grandes empresas. Uma iniciativa do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações – MCTI, da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI, e da Softex, que executa o programa em parceria com o CNPq.

Sobre a Fundação Vale
Criada há 52 anos, a Fundação Vale apoia e fortalece políticas públicas de educação, saúde e proteção social, e fomenta a inclusão produtiva nos territórios de atuação da Vale. A partir do diálogo e da imersão nos territórios, desenvolve e executa projetos sociais que visam à melhoria da qualidade de vida e fortalecem o acesso a direitos e serviços públicos essenciais. Mais informações em www.fundacaovale.org.

 

Por Karen Kornilovicz
Assessoria de Imprensa Softex