Começou hoje (20) o “Conecta, Brasil!”, evento que marca o encerramento da primeira edição do programa Conecta Startup Brasil, uma ação conjunta entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A solenidade de abertura contou com as participações de Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI;  Ruben Delgado, presidente da Softex; Bruno Jorge, coordenador do programa de indústria 4.0 da ABDI e Alexandre Motta, coordenador técnico da COAPD/CNPq.

“Estamos encerrando um ciclo reconhecendo a importância da convergência de iniciativas, da integração e da realização de ações inovadoras para o sucesso dessas startups neste momento importante de retomada da economia. Partiremos agora para uma nova etapa com objetivos ainda mais desafiadores”, disse o secretário Paulo Alvim.

Lançado em 2019, o Conecta Startup Brasil recebeu mais de 2.900 inscrições de empreendedores e 270 de empresas. Ao longo de seus 18 meses de execução, mapeou 327 desafios de mercado, capacitou mais de 7 mil pessoas e promoveu mais de 370 horas de mentoria.

“Ficamos muito satisfeitos com os resultados do programa, executado com inteligência, eficiência e competência, o que o levou a conquistar, inclusive, o prêmio do INAP”, ressaltou Alexandre Motta, coordenador técnico da COAPD/CNPq.

Para Ruben Delgado, presidente da Softex, merece ser destacado também o esforço dos coordenadores do programa em garantir a participação de startups de todos os Estados. “Ele acabou por preencher uma lacuna ao juntar vários atores importantes e formar um arranjo de colaboração em prol de um programa único que tem um valor imenso para todo o ecossistema de inovação do Brasil”, reforçou.

Já na visão de Bruno Jorge, da ABDI, “uma grande parte do sucesso do Conecta se deve à estratégia de conexão das startups às demandas reais do mercado. Estamos aproveitando um oceano azul para fomentar o empreendedorismo e as startups que farão o futuro deste país”.

Embora não fosse uma meta,  43% das startups do programa já estão faturando e, até agora, as 25 finalistas selecionadas para a terceira fase conseguiram levantar R$ 4,3 milhões em investimentos, com participação pública e privada exatamente na mesma proporção. Mais de 600 empregos diretos foram gerados e 6 mil clientes prospectados.

“Nosso objetivo era simplesmente tirar uma ideia do papel fazendo a sua validação no mercado por meio de conexões, mas nesses dois anos conseguimos até mesmo gerar tração. Outra preocupação foi fomentar a participação das mulheres. Tivemos 689 mulheres empreendedoras interessadas em tirar sua ideia do papel. O bioma Conecta se comprovou na prática uma política hesitosa e com muitas histórias de sucesso para contar”, comemorou Rayanny Nunes, gerente de inovação da Softex, durante a apresentação dos resultados do Programa.

Transmitida em plataforma de evento virtual com tecnologia 3D, a programação incluiu neste primeiro dia uma apresentação sobre o cenário de ESG, Economia Verde e Inovação no Brasil, seguido de um painel sobre Inovação Aberta. O período da tarde foi dedicado à discussão da inovação aberta.

O “Conecta, Brasil!” prossegue nesta quarta-feira, com a palestra “Super apps e movimento de aquisição de startups por grandes empresas” e com o Demoday que reunirá as cinco startups que se destacaram em suas regiões para apresentação de seus negócios a um comitê julgador de especialistas do ecossistema de inovação nacional.

Para conferir a programação completa do “Conecta, Brasil!” e efetuar gratuitamente sua inscrição, acesse https://lnkd.in/gc4U4AK