,

Datacoper otimiza desempenho com avaliações MPS

Empresa investe na obtenção de avaliações em software, serviços e recursos humanos e ganha eficiência

Uma das poucas empresas brasileiras a receber as três avaliações do Programa MPS tanto em Software (MPS-SW Nível F) como em Serviços (MPS-SV Nível G) e em Gestão de Pessoas (MPS-RH Nível G), a paranaense Datacoper tem se beneficiado dessa iniciativa em seus resultados comerciais. Ela foi fundada em 1991 em Cascavel, no Paraná, com o objetivo de desenvolver soluções de gestão empresarial para o agronegócio, contando atualmente com uma equipe formada por mais de 130 colaboradores especialistas em diversas áreas.

Hoje, a Datacoper investe em ações empreendedoras, criando soluções modernas e inovadoras para cooperativas, cerealistas, agroindústrias, laticínios e revendas de insumos agrícolas. Segundo Cezar Luiz Bernardon, seu sócio-fundador, “a decisão de investir nessas avaliações surgiu da necessidade de atingirmos os objetivos estratégicos que foram definidos para a empresa com o propósito de melhorar os seus serviços e produtos, buscando satisfazer às expectativas dos acionistas”.

Cezar Bernardon comenta também que esse investimento, alinhado ao planejamento estratégico, “teve reflexos positivos na satisfação dos acionistas, colaboradores e clientes, com uma percepção da entrega de serviços e produtos mais alinhada às expectativas do negócio”.

Em sua análise, o executivo da Datacoper destaca ainda que a implementação do MPS-SW gerou expressivos ganhos de eficiência nos processos. “Após a padronização dos processos, pudemos aplicar melhorias na gestão, sobretudo em projetos e desenvolvimentos, áreas em que eles passaram a estar mais bem alinhados às práticas, hoje já institucionalizadas, da organização”, destaca.

Em um ano de monitoramento, a Datacoper aumentou em 63% a efetividade das entregas de defeitos e em 5% o volume de horas cobradas. Esses ganhos ocorreram sem alterações significativas no quadro de colaboradores que foram envolvidos no modelo MPS, tanto que ao final do processo de implementação, um levantamento realizado pela companhia apurou que 97% dos respondentes aprovaram a iniciativa.

Dos três modelos de qualidade implementados, o MPS-SV foi o que trouxe maior impacto para o cliente em razão do foco da companhia na entrega de serviços e não de projetos em si. Tanto o MPS-SW como o MPS-RH proporcionaram ganhos à organização das demandas da equipe e a adoção de alguns controles que antes não eram observados, somente “sentidos”.

Em relação ao MPS-SV, houve na empresa um significativo aumento da percepção e do reconhecimento de melhora. “Em média, a efetividade de atendimento dos clientes teve um ganho de mais de 50%”, pondera o executivo.

Já na área de gestão de pessoas (MPS-RH), a adoção das práticas do modelo tornou possível definir e declarar processos e padrões que passaram a ser mais bem percebidos e reconhecidos pelos colaboradores como sendo passos necessários para uma melhor compreensão das expectativas da companhia. “O MPS-RH gerou ainda um ganho até então desconhecido de recursos de infraestrutura além de abrir espaço para a criação de uma forma de acompanhamento das demandas internas”, conclui Cezar Bernardon.

Para Nelson Franco, gerente da Qualidade da Softex, “a Datacoper teve a sensibilidade para fazer uma leitura abrangente da importância de se investir na melhoria de processos como uma ferramenta para otimizar os negócios da empresa como um todo”.

Sobre o Programa MPS BR, Nelson Franco lembra que ele já ultrapassou a marca de 720 avaliações. “É um número muito expressivo para um programa criado em dezembro de 2003, e que nos últimos três anos vem registrando uma liderança no mercado brasileiro frente a modelos já consagrados, por ser o mais adequado à realidade e às necessidades das empresas nacionais”.