Mais de 2 mil pessoas já foram beneficiadas pelo projeto da startup de impacto social SDW (Safe Drinking Water for All), fundada em 2015 com o propósito de desenvolver tecnologias hídricas e de saneamento que proporcionem mais saúde e qualidade de vida à população de maior vulnerabilidade socioambiental.

Em parceria com a Fundação Vale, a SDW está realizando um projeto-piloto com o dispositivo Aqualuz, que torna a água própria para consumo apenas com a radiação solar, junto a dez famílias da comunidade de Vila Pindaré, no município de Buriticupu, distante cerca de 400 km da cidade de São Luis, no Estado do Maranhão. Para a sua realização, a iniciativa conta com o apoio do programa Conecta Startup Brasil, uma iniciativa do MCTI, ABDI e Softex, em parceria com o CNPq, que se destaca por apoiar empresas de base tecnológica em estágio inicial.

O Aqualuz é a única tecnologia no mundo que realiza o tratamento de água de cisternas usando a luz solar, sem nenhum tipo de filtro ou de aditivo químico. Trata-se de um reservatório com superfície de vidro, diretamente acoplado à cisterna e que pode ser instalado em apenas 10 minutos. A manutenção é feita utilizando apenas água e sabão. O equipamento tem vida útil de até 20 anos.

Ele funciona assim: a água armazenada na cisterna é bombeada até o dispositivo e o tratamento acontece automaticamente. Um indicador sinaliza quando o processo está concluído. Por sua simplicidade no manuseio, na manutenção, pelo potencial de impacto positivo e transformador no meio ambiente, o Aqualuz foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“Foi no âmbito do Conecta Startup Brasil que conseguimos estabelecer, construir e manter a conexão com a Vale que é, além de nossa parceira, também cliente. O programa foi responsável por essa sinergia mútua. Nos próximos meses, esperamos firmar um acordo para a aquisição de mais 200 unidades. Assim, poderemos beneficiar mais quatro comunidades em Buriticupu”, destaca Jhonathan Lima, coordenador de projetos da SDW.

A gerente da Fundação Vale, Pamella De-Cnop, explica que a tecnologia foi implantada após conexão da Vale com a startup SDW (Safe Drinking Water for All) por meio do programa Conecta Startup Brasil, que fomenta o ecossistema brasileiro de inovação. O projeto segue sendo monitorado e espera-se que ele possa ser expandido futuramente. “Temos muita alegria em poder contribuir para o acesso a uma necessidade básica da população que é a água potável. Pela simplicidade do projeto as próprias famílias têm autonomia para gerir o equipamento. Esperamos poder contribuir para que o acesso à água potável torne-se possível para mais famílias no interior do Maranhão”, destaca.

O acesso à água potável e ao saneamento básico é considerado um direito básico do ser humano. Segundo dados das Organizações das Nações Unidas (ONU), em 2015, 2,1 bilhões de pessoas não tinham acesso à água potável, enquanto 4,5 bilhões não tinham instalações sanitárias geridas de forma segura. No Brasil, existem cerca de 1,4 milhão de cisternas construídas.

A SDW está presente atualmente nos estados da Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Sergipe. Aleta da empresa é operar em todos os nove estados do Nordeste e também no norte de Minas Gerais.


Sobre o Conecta Startup Brasil

O Conecta Startup Brasil é um programa de inovação aberta que já impactou mais de 20.000 pessoas em todo o país e que tem como objetivo fomentar projetos de inovação que tenham compatibilidade com o mercado e com grandes empresas. Uma iniciativa do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações – MCTI, da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI, e da Softex, que executa o programa em parceria com o CNPq.

Sobre a Fundação Vale
Criada há 52 anos, a Fundação Vale apoia e fortalece políticas públicas de educação, saúde e proteção social, e fomenta a inclusão produtiva nos territórios de atuação da Vale. A partir do diálogo e da imersão nos territórios, desenvolve e executa projetos sociais que visam à melhoria da qualidade de vida e fortalecem o acesso a direitos e serviços públicos essenciais. Mais informações em www.fundacaovale.org.

 

Por Karen Kornilovicz
Assessoria de Imprensa Softex