Em sua terceira fase, o Programa TechD recebe 621 inscrições de startups, empresas de TIC, grupos de pesquisa e consórcios

Com recursos da ordem de até R$ 18 milhões, o TechD prevê a concessão de até R$ 500 mil de subvenções por projeto selecionado

O Programa TechD, lançado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em parceria com a Softex, anuncia o resultado da chamada pública de inscrições para startups, empresas de TIC, grupos de pesquisa e consórcios nacionais e internacionais interessados em fornecer tecnologia para as empresas-âncoras e Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs), centros de P&D e universidades participantes dentro de quatro áreas temáticas: IoT, Saúde, Energia e Mobilidade.

“Durante o período de submissão, encerrado em junho, recebemos 621 inscrições e após a fase de análise documental e habilitação com as bancas de avaliação, foram selecionados 182 projetos”, destaca Diônes Lima, vice-presidente da Softex.

Em sua primeira fase, o TechD firmou 22 acordos com Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs), universidades e centros de P&D distribuídos por 13 estados, possibilitando o suporte em todas as regiões do país. Na segunda etapa, foram confirmadas 36 médias e grandes companhias interessadas em testar tecnologias através de processos de inovação aberta – as chamadas empresas-âncora, entre as quais Braskem, Embraer, Furukawa, Klabin, Marcopolo, Positivo, Sercomtel e Votorantim.

Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, explica que o TechD inicia agora a fase de avaliação dos projetos de pesquisa por ICCs e empresas-âncora. “Na sequência, teremos as diligências entre as startups, centros de P&D, universidades e empresas participantes. Ainda neste semestre serão firmados os termos de cooperação para início dos trabalhos. A missão do Programa é realizar essa ponte entre o universo empreendedor e o de pesquisa, contribuindo para o desenvolvimento de tecnologias com maior valor agregado”, ressalta.

Com recursos da ordem de até R$ 18 milhões, o TechD prevê a concessão de até R$ 500 mil de subvenções somados a possíveis investimentos de até 2 milhões que as empresas já habilitadas aportarão por projeto de tecnologia selecionado. Ele permite também que as empresas ofertem contrapartida financeira por projeto de interesse, que sejam sócias ou obtenham exclusividade no uso das soluções que serão implementadas.

Para a sua realização, o programa TechD conta com as parcerias estratégicas da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).