Localização e infraestrutura estão entre os diferenciais que credenciam a região como hub de entrada na Europa para empresas brasileiras

 

Por Mário Pereira

O potencial da região belga de Flandres para receber empresas brasileiras de TI será apresentado durante missão comercial virtual nos dias 28, 29 e 30 de setembro, em mais uma iniciativa da Softex no âmbito do Projeto Setorial Brasil IT+, desenvolvido em parceria com a Apex-Brasil. Para a sua realização, a missão conta também com o apoio da Flandres Investment & Trade, agência governamental de promoção comercial e de atração de investimentos na região de Flandres.

“Sua sólida infraestrutura e localização privilegiada transformam essa região em uma porta de entrada das empresas brasileiras interessadas em atuar no continente europeu”, destaca Ana Beatriz Pires, gerente de internacionalização da Softex, acrescentando que mais de 60% do poder de compra europeu está situado em um raio de 500 quilômetros no entorno de Flandres.

A região de Flandres abriga mais de 800 Centros Europeus de Distribuição (CEDs), a maior densidade da Europa, por sua excepcional mala rodoviária, ferroviária e hidroviária. Entre importantes diferenciais que favorecem a ida de empresas brasileiras para lá estão a interação existente entre universidade e indústria, com diversos centros de pesquisa estratégicos em segmentos como de nanoeletrônica e tecnologia digital (Imec), biotecnologia (VIB), energia, materiais e ambiente (VITO) e tecnologia de processos e produtos (Flanders Make); uma força de trabalho altamente produtiva e qualificada; e diversas medidas de incentivo aliadas a amplas possibilidades de financiamento. “É um conjunto muito atraente de fatores”, complementa Ana Beatriz Pires.

Programação da Missão – O primeiro dia do encontro terá início às 09h00 com uma apresentação das razões para se investir na região, com um detalhamento sobre as formas de se iniciar um negócio ou abrir uma empresa em Flandres e com informações sobre as oportunidades de interesse para as empresas brasileiras do setor de TICs.

A programação do segundo dia inclui uma apresentação das políticas belgas e da região relacionadas a taxas e incentivos, um resumo do perfil inovador nos segmentos de cibersegurança e de jogos, bem como um depoimento da Stefanini sobre as vantagens de se estar presente na região de Flandres.

Encerrando o evento, serão abordados como construir uma cultura de inovação e criando novos negócios através do Porto de Antuérpia, procedimentos para imigração (visto/permissão de trabalho, carteira profissional e visto para startup) e os programas de incubadoras/aceleradoras disponíveis em Flandres.

Para mais informações sobre as oportunidades para as empresas do setor de TICs em Flandres e também no mercado europeu, envie uma mensagem para [email protected]