Londres: um novo hub para a internacionalização de startups comprova Softex

São Paulo, 29 de junho de 2015 – Em uma iniciativa da Softex cinco startups integrantes do Programa Start-Up Brasil participaram da segunda edição da London Technology Week, realizada entre os dias 15 e 19 de junho.

Integraram a missão a Convenia, plataforma de gestão de recursos humanos da Turma 1; a Maxmilhas, plataforma para intermediação da compra e venda de passagens aéreas emitidas por milhas da Turma 2; e da Turma 3; a Emotion.me, central on-line para organização de casamentos; a Hiper,  sistema de ponto de venda de alta produtividade para gestão de pequenas e médias lojas de varejo (POS SaaS); e a Virtual Avionics, startup que projeta e desenvolve equipamentos e sistemas profissionais para simulação de voo.

“Londres é atualmente um dos ecossistemas de TI mais vibrantes do mundo e o objetivo de levarmos as startups para lá faz parte do projeto de internacionalização que estamos desenhando para o programa. Queremos que essas companhias entendam a importância de pensarem seus negócios de forma global, mesmo tendo inicialmente como foco um mercado tão grande como o brasileiro”, explica Ney Leal, vice-presidente executivo da Softex, entidade responsável pela gestão do Start-Up Brasil.

Dados do Oxford Economics apontam que o número de empresas do setor digital em Londres cresceu 46% desde o lançamento do Tech City em 2010. O setor emprega atualmente mais de 200 mil pessoas, 17% a mais que há cinco anos. O Reino Unido, um mercado formado por mais de 63 milhões de pessoas, também vem trabalhando para se tornar a escolha principal de empresas interessadas em expandir a sua presença global por meio da oferta de uma série de programas de apoio e de incentivos para a realização de parcerias com companhias britânicas, com destaque para as do setor de TI.

Para Max Oliveira, sócio e co-fundador da Maxmilhas, a London Technology Week se mostrou uma imersão na real possibilidade de internacionalização da companhia. ”Foi um primeiro e importante passo para compreendermos os passos básicos necessários para abrirmos uma operação no Reino Unido e para obtermos o feedback de potenciais clientes locais em relação ao nosso negócio”, avalia.

Vitor Andrade, gestor do Start-Up Brasil que acompanhou a delegação, lembra a importância de o Brasil se posicional como um celeiro de empresas nascentes inovadoras e criativas. “Investimentos recentes de grandes fundos internacionais em empresas brasileiras demonstram que o país entrou no radar mundial e nesse evento ficou claro que temos muitas outras empresas com esse potencial promissor”, pondera.

Durante a London Technology Week, Vitor Andrade se reuniu com instituições públicas e privadas, aceleradoras e empresas locais com o intuito de trocar experiências e discutir potenciais parcerias com o programa. “Precisamos construir startups que pensem globalmente e para isso é essencial desenvolver conexões em outros países”, conclui.

A participação das startups brasileiras na London Technology Week foi realizada pela Softex com o apoio do Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e da Beats Brasil.