No Softex Experience, Data Machina destacou a importância da inovação aberta

Criada em 2019, a startup de consultoria em TI Data Machina trabalha, como o próprio nome sugere, como uma poderosa máquina de dados.

Ivo Pons, sócio-fundador da startup, foi um dos palestrantes do Fórum IA², realizado durante o Softex Experience, e destacou a importância e o sucesso de iniciativas de inovação aberta realizadas em parceria com clientes como a MRS Logística.

“Inicialmente, pensamos em focar nossas atividades em serviços públicos e como avançar na digitalização e na integração dessas atividades com dados das cidades e na experiência dos usuários. Isso nos ajudou a direcionar o trabalho, formar equipes e ir, gradativamente, construindo um percurso. Mas a pandemia nos fez ajudar o rumo para além dos serviços públicos, pois percebemos que havia uma demanda muito maior das empresas não nativas digitais que estavam em processo de digitalização e para as quais a inovação aberta poderia ser um caminho”, disse Pons.

Durante o processo de aceleração e acesso ao mercado dentro do Programa IA² MCTI, houve muitas oportunidades de conexão capazes de trazer um impacto real tanto para o setor como para o país. Nessa jornada, a Data Machina se uniu à aceleradora E-volve e também com o CPQD, um dos maiores centros de pesquisa e desenvolvimento da América Latina. “A relação aberta e franca com a equipe, o apoio no entendimento das questões administrativas e as conexões fomentadas foram fundamentais em nosso processo de desenvolvimento”, relembrou Ivo Pons.

Três anos após a sua fundação, a Data Machina está relacionada entre as Top10 citytechs do 100 Open Startups do país. “Fechamos grandes parcerias, o que eu considero o ponto alto do Programa IA² MCTI, pois conectou efetivamente todos os envolvidos, além de reduzir o risco de ambos os lados, facilitando a adoção de novas tecnologias”, concluiu Pons.