O presidente da Softex, Ruben Delgado, participou da inauguração do Bureau SENAI CIMATEC de Manufatura Aditiva.

Com informações Senai Cimatec

O SENAI CIMATEC, em colaboração com a multinacional HP e a SKA – revendedora exclusiva de manufatura aditiva da HP no Brasil -, inaugurou o Bureau SENAI CIMATEC de Manufatura Aditiva.

O evento de inauguração aconteceu na tarde da última terça-feira, 21, de forma híbrida (presencial e virtual), e reuniu nomes como Claudio Raupp, presidente da HP Brasil, Siegfried Koelln, CEO da SKA. Representantes do governo federal e de executivos de diferentes setores do mercado também participaram do evento presencial e remotamente. Leone Andrade, Diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI CIMATEC, tratou sobre como a inauguração do Bureau impulsiona o avanço da indústria nacional rumo à Indústria 4.0,“Tenho certeza que essa estrutura vai contribuir ainda mais para a integração e conexão com outras instituições que estão também trabalhando fortemente nesse tema no país, em especial a rede dos nossos Institutos SENAI de Inovação e da rede EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial).”

Os participantes do evento reforçaram a contribuição que o Bureau proporciona para o desenvolvimento da indústria e os novos caminhos que podem ser percorridos a partir desta estrutura. “É preciso ter consciência de que as tecnologias que estão sendo lançadas hoje permitem um avanço importante nas fronteiras da criatividade da pessoa humana, uma vez que as limitações que os meios tradicionais de manufatura impunham aos nossos projetistas estão estendidas de maneira importante, o que quer dizer que existe uma provocação para todo o entorno […] O projeto de vocês é pioneiro e creio que, daqui para frente, muitas coisas virão na esteira deste pioneirismo”, pontuou Siegfried Koelln, CEO da SKA.

O Bureau SENAI CIMATEC de Manufatura Aditiva – primeiro da América do Sul com a tecnologia HP e com recursos industriais que permitem a produção de geometrias complexas – está localizado no SENAI CIMATEC Park, em Camaçari. Em termos práticos, o Bureau já está em funcionamento e possibilita a versatilidade de design, a redução de estoques físicos (passam ser digitais) e do tempo de desenvolvimento, além de viabilizar tiragens em menores lotes. A operação ainda tem caráter sustentável e garante a reutilização de matéria-prima em 80%.

“O Bureau SENAI CIMATEC de Manufatura Aditiva vem como um elemento impulsionador para a indústria brasileira nos mais diversos setores, automotivo, saúde, óleo e gás, mineração, arquitetura, decoração e muitos outros setores […] Então, assim, o Bureau SENAI CIMATEC vem com esse desafio de aumentar a competitividade na indústria brasileira”, enfatizou Bruno Caetano Silva, Líder Técnico SENAI CIMATEC.

Cláudio Raupp, presidente da HP Brasil, reforçou o caráter democrático e disruptivo do Bureau, “A manufatura aditiva democratiza o design e a produção de peças e produtos, porque não requer que você tenha todo aquele parque industrial para ser um criador ou produtor de peças […] A manufatura digital revoluciona a forma de projetar, de produzir, impacta enormemente a inovação em manufatura e, acima de tudo, na aceleração do ciclo de desenvolvimento de produtos”.

“Em parceria com o CIMATEC, a gente utiliza as máquinas da HP, capazes de imprimir dezenas de peças que podem ser uma diferente da outra, um grande diferencial no segmento e que permite a customização de óculos em larga escala. Encontramos aqui no CIMATEC uma estrutura espetacular que será decisiva para o nosso futuro, tanto para a YoFace, quanto para tantas outras empresas que aqui se instalam. Um divisor de águas, eu diria, gerando impacto na consolidação de um processo de inovação tão necessário para o Brasil”, ilustrou Ivan Cavilha, CEO da YoFace, como a Manufatura Aditiva, na prática, é essencial para empresa garantir a qualidade e diferencial dos seus produtos.

Juntamente com a inauguração do Bureau, acontece o programa de capacitação de pessoas, voltado para apresentar as possibilidades e capacitar profissionais para identificarem oportunidades de inovar a partir desta tecnologia. “Tudo começa e termina quando a gente fala em pessoas. Então, conhecimento e preparação dessas pessoas foi essencial para a gente conseguir aplicar essa tecnologia aqui na Unilever Brasil e eu sei que vai ser essencial para qualquer tipo de iniciativa feita em qualquer segmento seja de pequeno, médio ou grande porte, até empreendedorismo”, Nathan Dessimoni, Gerente de Manutenção Corporativa e Transformação Digital da Unilever, reforçou a importância da qualificação de pessoal para a atuação na Manufatura Aditiva.

Por fim, o engenheiro Ricardo Olímpio, da Vale, destacou a importância da manufatura aditiva e do pioneirismo da empresa, do setor de mineração, ao usar esta tecnologia, “Eu sou talvez um dos primeiros clientes do bureau. Nosso objetivo com o projeto foi de reduzir as perdas por quebra em um determinado equipamento que tem, nada mais, nada menos que 100 anos de existência. Não ele, mas o projeto dele em si, e que sofreu poucas atualizações durante esse ciclo. […] Nós vamos conseguir talvez até 40% a mais de vida nesse equipamento. […] É a indústria 4.0 dando seu primeiro passo nas usinas de pelotização, um processo centenário dentro das indústrias de mineração”.