Softex vai acelerar conexões e apoiar a internacionalização do ecossistema de inovação Capixaba

De acordo com dados do mapeamento realizado pela Startup Scanner, ferramenta da Liga Ventures que conta com o apoio estratégico da PwC Brasil, o Espírito Santo conta com mais de 110 startups distribuídas por mais de 10 cidades capixabas e separadas em 27 categorias, com destaque para empresas dos segmentos de EdTechs, Fintechs e HealthTechs. Uma das mais famosas é o PicPay, aplicativo de pagamentos digitais por meio do QR code. Em junho, foi anunciado o lançamento do Hub ES+, um novo centro de inovação e economia criativa, a ser instalado no Centro de Vitória.

E foi justamente para conhecer mais a fundo esse ecossistema vibrante e estudar a viabilidade da construção de novos projetos e parcerias que a Softex, por meio de seu vice-presidente executivo, Diônes Lima, acompanhado de Vic Ribeiro, analista de inovação e projetos da entidade, participou de uma série de visitas e reuniões com principais stakeholders da Grande Vitória. Eles foram acompanhados por Anilton Salles Garcia, membro do Comitê Gestor do FUNCITEC/MCI e Diretor de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

“Vislumbramos muitas sinergias com a Softex. O Espírito Santo está com o ecossistema de inovação aquecido, bem conectado e propício para a construção de projetos em rede”, destaca Anilton Salles Garcia.

A agenda de atividades incluiu visitas ao Espaço Empreendedor e ao Laboratório de Telecomunicações da UFES, ao FINDESLAB e Lavte, reunião com a Associação Capixaba de Tecnologia (ACTION), BANDES e diversas ICTs; além da retomada das ações de parcerias com a TecVitória e de visitas a universidades privadas e institutos federais.

“O ecossistema do Espírito Santo está muito engajado, organizado e com uma governança muito bem estabelecida. Os recursos para a inovação estão bem estruturados e há espaço para um maior apoio institucional de forma a tornar o Estado mais atrativo para as empresas. Nesse cenário, vejo espaço para a Softex atuar como um agente de conexão para auxiliar todo esse ecossistema a se fortalecer e ganhar uma exposição internacional”, analisa Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex.