Comunicação Softex

Em 2019, a Portal Telemedicina, health tech de laudos médicos e teleconsulta, passou pelo processo de aceleração do Programa TechD, lançado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTI) em parceria com a Softex. Sua missão foi fazer a ponte entre o universo empreendedor e o de pesquisa por meio da integração e da maior convergência entre startups, centros de P&D, universidades e empresas do setor produtivo.

Um estudo baseado em Inteligência Artificial (IA) realizado pela Portal Telemedicina em parceria com a Rede São Camilo (SP) e o Instituto Eldorado, permitiu progredir a passos largos nos processos para a detecção precoce e acompanhamento de câncer no país, viabilizando o atendimento dos pacientes em tempo hábil.

De acordo com o Datasus, o câncer é a segunda doença que mais mata no Brasil. Segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), o tempo médio para diagnóstico da doença no país é de 270 dias.

O diagnóstico precoce é, portanto, um dos principais instrumentos no combate ao câncer e quanto mais cedo o início do tratamento, maiores as chances de cura. Os resultados desse estudo possibilitarão agilidade médica na tomada de decisões durante o tratamento da doença.

Segundo Elizabeth Rocha Fernandes, head de Produto da Portal Telemedicina, o projeto cumpriu o objetivo de isolar e remover as barreiras científicas na produtização em larga escala dos algoritmos de Inteligência Artificial. “Ao final, obtivemos uma detecção de nódulos cancerígenos em exames de raio-x com performance muito acima do esperado”, explica.

Ela destaca que o modelo para exames de raio-x tem um potencial de impacto na saúde coletiva muito maior do que a detecção feita em exames de tomografia, uma vez que até mesmo pequenas e micro clínicas podem adquirir o equipamento. “Além disso, o custo por exame é menor. Portanto, a abrangência de população atendida tende a ampliar.”

Para aprimorar o suporte no acompanhamento de pacientes oncológicos em tratamento, a Portal Telemedicina prevê o uso da Inteligência Artificial na avaliação Recist (Response Evaluation Crieteria in Solid Tumors), que consiste na análise de diversos exames do paciente desde o início do tratamento, bem como na comparação entre eles para avaliar se os nódulos estão aumentando ou reduzindo de tamanho.

“Esse processo, por vezes, é difícil e demorado, uma vez que alguns pacientes podem estar acompanhando há meses ou anos, sendo necessário revisar todo o histórico de imagens. Com o software da Portal Telemedicina, seria possível identificar lesões neoplásicas no primeiro estudo e fazer o acompanhamento com mensuração ou quantificação de forma automática nos demais exames”, afirma o Dr. Vinícius Castro Fiorot, médico radiologista que acompanhou todo o estudo.
O projeto de pesquisa visa criar soluções que também reduzam a quantidade de erros médicos durante o laudo de exames. “Quando há divergência entre a indicação da Inteligência Artificial e a avaliação do médico, é criado um sistema de double check, ou seja, o mesmo exame é enviado a outros profissionais, abrindo um fórum de debate”, complementa Elizabeth.

“O sucesso do Portal Telemedicina comprova a importância do investimento público e privado em health techs capazes fomentar a produção científica no país e colaborar assim para o desenvolvimento de tecnologias com maior valor agregado”, destaca Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex.