Edital selecionará até 20 equipes formadas por ICTs e aceleradoras interessadas em apoiar projetos de desenvolvimento de soluções em Inteligência Artificial com ênfase nas áreas de agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes

Estão abertas até o dia 13 de março as inscrições para as instituições credenciadas ao CATI (ICTs) e as aceleradoras com experiência aplicada em Inteligência Artificial interessadas em participar do Programa IA2 MCTIC, iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com o apoio da Softex.

Nesta etapa, até 20 equipes formadas por ICTs e aceleradoras serão selecionadas. O Programa IA2 MCTIC oferece investimentos totais de até R$ 500 mil por startup e seus principais eixos temáticos são as áreas de agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes. As aceleradoras podem reter equity e o Programa realizará um aporte de co-investimento de mesmo valor.

As ICTs serão responsáveis pelo apoio, acompanhamento do desenvolvimento da solução e suporte tecnológico enquanto as aceleradoras responderão pelo investimento e suporte na escalabilidade do modelo de negócios dos projetos de pesquisa selecionados. As instituições podem inscrever diversos projetos sob o mesmo CNPJ.

O Programa IA2 MCTIC, que tem por objetivo selecionar 100 e financiar até 30 projetos de pesquisa, permitirá que ICTs e aceleradoras atuem em conjunto com startups desenvolvendo soluções mais robustas e criando negócios de maior impacto. Além do fomento a novos negócios, ele viabiliza acesso aos mercados nacional e também internacional por meio de inovação aberta.

Assim que forem selecionadas as ICTs e Aceleradoras, será realizada a chamada para a seleção de startups, empresas de TI e grupos de pesquisa. Confira todos os detalhes do edital no endereço http://softex.br/iamctic/

País é porta de entrada para serviços do setor na Europa

As cidades de Lisboa, Braga, Porto, Vila Nova de Gaia e Oeiras receberão entre os dias 18 e 21 de fevereiro a “Missão de Negócios Brasil-Portugal”, uma ação do Projeto Setorial Brasil IT+, desenvolvido pela Softex e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Para a sua realização, a iniciativa conta com o apoio da Câmara de Comércio Luso-Brasileira, da Iscte (Instituto Universitário de Lisboa), da UPTEC, da Embaixada do Brasil em Portugal e da InovaGaia.

Estas cidades foram escolhidas por suas importantes particularidades: Lisboa é sede de grandes empresas e de importantes aceleradoras. Porto, Vila Nova de Gaia e Oeiras são grandes polos tecnológicos e Braga um relevante centro de apoio a startups.

Além de pitches das empresas brasileiras a potenciais investidores europeus, a programação da Missão inclui a apresentação de casos de sucessos e palestras detalhando o ambiente tecnológico local, programas de apoio e de investimento, bem como visitas técnicas à Startup Lisboa, Agência de Competitividade e Inovação de Portugal (IAPMEI), Embrea Blip, Startup Braga, além de estratégia para a contratação de profissionais locais. A missão será encerrada com uma visita ao Oerias Valley, iniciativa que ambiciona transformar Oeiras na Silicon Valley portuguesa.

Destaque para as reuniões que serão promovidas na Beta-i, a maior aceleradora de Portugal e responsável pelo Lisbon Challenge, o programa de inovação mais importante do país; e na TechNor Value, que visa promover a inovação junto às PMEs da região norte do país.

O portfólio brasileiro inclui soluções de segurança de pagamentos, colaboração, economia compartilhada e educação desenvolvidas pelas empresas Argotechno, Hugheir Innovations, Immail, Mundo BLW, Pulsus e Explot.

Conheça a delegação brasileira:

  • Argotechno – especializada em sistemas de meios de pagamento eletrônicos e realização de transações seguras, atende praticamente todos os bancos brasileiros, empresas de cartões de crédito, transporte e identificação, tanto no Brasil como no exterior.
  • Hugheir Innovation – dedicada ao desenvolvimento de aplicativos baseados em economia colaborativa, desenvolve aplicativos para conectar clientes e prestadores de serviços.
  • Immail – aplicativo de mensageria instantânea para uso corporativo em empresas de pequeno, médio ou grande porte. Oferece segurança e praticidade aos usuários.
  • Mundo BLW – aplicativo sobre introdução de alimentação saudável para bebês e crianças.
  • Pulsus – solução para controle de smartphones e tablets corporativos. Proporciona comodidade e produtividade ao oferecer aos seus usuários suporte completo, menor consumo de bateria e pacote de dados.
  • Explot – desenvolvedora de apps, jogos, animações e conteúdos educativos, inspiradores e saudáveis para o público infanto-juvenil e que contemplam os aspectos físico, mental e emocional.

Programa IA2 MCTIC selecionará até 100 projetos de P&D

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com o apoio da Softex, anunciou ontem (4) em Brasília o lançamento do edital doPrograma IA2 MCTIC, iniciativa que integra a Estratégia Brasileira para Inteligência Artificial (IA) em construção pelo Governo Federal e que envolve entre seus principais eixos temáticos segurança pública, aplicação nos setores governamental e produtivo e na força de trabalho.

Seu objetivo é selecionar 100 e financiar até 30 projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) orientados ao desenvolvimento de soluções em Inteligência Artificial e orçados em até R$ 500 mil cada.

Participaram da solenidade de lançamento o Ministro em exercício Júlio Semeghini; Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação (SEMPI/MCTIC); e Ruben Delgado, presidente da Softex.

“O Programa surgiu para atender uma demanda do próprio mercado. No ano passado, as empresas beneficiadas pela Lei de Informática investiram R$ 100 milhões em pesquisa e desenvolvimento em Inteligência Artificial. Então, nosso intuito é estimular projetos colaborativos nessa área, por meio da inovação aberta, com recursos da nova Lei de TICs”, explica o secretário Paulo Alvim.

O IA2 MCTIC engloba um trabalho em quatro frentes: empresas interessadas em testar tecnologias de IA a partir de desafios enfrentados em suas organizações (empresas âncoras); aceleradoras, responsáveis pelo investimento e suporte aos executores dos projetos de P&D selecionados e na escalabilidade de seus modelos de negócios; instituições do CATI, responsáveis pelo apoio e acompanhamento do desenvolvimento da solução e suporte tecnológico; e startups, empresas de TI que executarão os projetos de P&D sob a orientação e com o apoio do CATI e das aceleradoras.

“Com abrangência nacional, esse novo programa de inovação aberta nos permitirá promover um processo de aceleração tecnológica por meio do desenvolvimento de soluções de impacto que incorporem Inteligência Artificial, uma tecnologia cada vez mais presente no mundo e considerada uma das maiores promessas não apenas para o futuro da humanidade, mas também das empresas. Desta forma, aumentaremos tanto a competitividade como a internacionalização das tecnologias brasileiras, bem como a competitividade, a inovação e a eficiência do setor produtivo nacional”, avalia Ruben Delgado, presidente da Softex.

Neste primeiro momento, o edital fará uma chamada para instituições credenciadas ao CATI (ICTs) e aceleradoras com experiência aplicada em IA. Na sequência, o Programa efetuará a seleção de startups, empresas de TI e grupos de pesquisa que apresentem modelos de negócios escaláveis e soluções de IA.

Para mais informações sobre o Programa IA2 MCTIC visite http://softex.br/iamctic/