A solenidade de lançamento, que será on line, ocorrerá nesta quinta-feira, às 17h30

Por Fabrício Lourenço
Comunicação Softex

Brasília, 20 de março de  2021  – A Capital Federal ganhará, a partir do dia 22 de março, um programa que promete revolucionar o cenário digital da cidade. Realizado pela Softex e FAPDF, o Distrito Digital vai promover a inovação e a transformação digital de empresas e organizações do DF e a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (Ride), além de desenvolver talentos conectados à nova economia digital.

A live de abertura do evento contará com as presenças do vice-presidente executivo da Softex, Diônes Lima; do coordenador de Tecnologia e Inovação da FAPDF, Gilmar dos Santos Marques; da CEO do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica, Dra. Lídia Abdalla; da diretora de inovação da Confederação Nacional da Indústria, Gianna Sagazio; e do consultor da presidência do BRB, responsável pela área de Inovação & Transformação Digital, Jefferson Okamoto.

Anote na agenda!

Lançamento do Programa Distrito Digital

Quando?  22 de março

Hora: 17h30.

O evento é gratuito. Para assistir clique aqui.

Por Fabrício Lourenço
Comunicação Softex

Brasília, 19 de abril de 2021 – As empresas âncora que desejam se inscrever no programa IA2 MCTI têm mais uma  chance:  as inscrições foram prorrogadas para o dia 2 de  maio.  O programa de aceleração tecnológica em inteligência artificial visa aumentar a competitividade brasileira por meio da inovação aberta.

Poderão participar da seleção empresas que utilizem Inteligência Artificial em seus negócios para aumentar a produtividade e startups de IA que tenham o interesse em investir diretamente nesses negócios.

O edital prevê a participação de empresas com faturamento superior a R$ 4,8 milhões que atuem em pelo menos uma das quatro áreas estratégicas: agronegócio, indústria, saúde ou cidade inteligentes. Também é necessário que a empresa possua experiência prévia em inovação aberta.

Criado para aumentar o número de startups em Inteligência Artificial no país, o programa IA² MCTI é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e é executado pela Softex. O programa tem o objetivo de fomentar o desenvolvimento de projetos inovadores com a adoção de inteligência artificial; apoiar maior interação e conexão entre os atores participantes do ecossistema de inovação; aumentar competitividade e internacionalização de tecnologias brasileiras; fomentar a competitividade, inovação e eficiência do setor produtivo brasileiro e promover a Aceleração Tecnológica.

IA² MCTI

O programa possui como missão desenvolver novas tecnologias em inteligência artificial conectando o universo empreendedor e de PD&I, através do desenvolvimento de negócios inovadores que estejam atuando na vanguarda tecnológica capaz de gerar maior produtividade para o setor produtivo brasileiro e por consequência, maior competitividade de nossas empresas.

Para acessar o edital clique aqui.

A internacionalização dos negócios é uma opção para muitos empreendedores brasileiros que enxergam no movimento uma opção para ampliar mercados, diversificar, minimizar riscos com oscilações econômicas internas e alcançar novos nichos. No entanto, na prática, esse não é um processo simples. O sucesso, segundo quem já passou por esse momento, requer muito planejamento e apoio de entidades e/ou órgãos que conheçam o mercado para onde se quer expandir.

Segundo o estudo “Trajetórias FDC de Internacionalização das Empresas Brasileiras”, publicado pela Fundação Dom Cabral com a coordenação da professora Lívia Barakat, ao longo dos últimos 14 anos muitas empresas brasileiras iniciaram seu processo de internacionalização, ao mesmo tempo em que grande parte das que já eram multinacionais aumentaram seus investimentos no mercado externo, passando de um grau médio de internacionalização de 12,9% em 2006 para 21,6% em 2018. A tendência é de aumento gradual de 1% nesse grau a cada ano.

Para o CEO da consultoria em gestão de projetos e inovação Prosperi, Leonardo Nogueira, no processo de internacionalização o planejamento é essencial para tentar minimizar possíveis surpresas no meio do caminho. Além disso, conhecer o mercado local e contar com o apoio de organizações civis de interesse público, como câmaras setoriais – no caso dele, a Softex (da área de tecnologia e transformação digital), poderá auxiliar a transição, desde as fases iniciais do projeto até a chegada da empresa no país escolhido.

A Prosperi é uma empresa de origem capixaba que oferece soluções de gestão de inovação, colaboração e gerenciamento inteligente de projetos e portfólio de ponta a ponta, que já atendia clientes internacionais e, no final de 2018, partiu para o estabelecimento físico também no exterior. “Não foi uma decisão de impulso. Eu e meus sócios pesquisamos muito sobre o mercado onde queríamos estar, estudamos e nos preparamos para todas as adversidades que pudessem surgir. Afinal, em um país distante do nosso não há espaço para erros”, explica Nogueira.

Orlando, nos Estados Unidos, se tornou a primeira filial internacional. “A decisão por Orlando levou em consideração os aspectos tributários da Flórida e a facilidade logística. Orlando tem voos diretos para as principais cidades dos EUA, Caribe e América Latina. Não foi um processo simples, ficamos cerca de dois anos fazendo o planejamento e nos aprofundando no mercado local. Com pouco tempo no novo país, demos de cara com uma pandemia global que nos fez repensar nossa estratégia.

Ter feito a lição de casa antes de estar aqui nos ajudou a tomar as melhores decisões”, ensina o executivo. Nogueira ressalta que, embora o desafio seja grande, a estratégia de internacionalização foi positiva e ele não descarta novos países. “Estar em mais de um país em um cenário adverso, como o que estamos vivendo, pode ser bem positivo, mas precisa ser ágil para adequar o projeto a eventuais mudanças. No médio e no longo prazo a experiência é, com certeza, muito mais positiva”, avalia. Fonte e mais informações: (www.prosperiglobal.com).

Fonte: Jornal empresas e negócios
Publicada em 13 de abril

O evento conta com o apoio da Mind Mexico, Softex, Brasil It +  e Apex Brasil

Por Fabrício Lourenço
Comunicação Softex

Brasília, 14 de abril de 2021 – Empresas brasileiras que tenham interesse em internacionalizar seus negócios terão a chance de entender mais sobre o assunto durante o Bootcamp México, que acontece nos dias 28 e 29 de abril.

De forma prática, o evento – exclusivamente on-line – pretende fazer conexões e apresentar conteúdos exclusivos do mercado mexicano. No primeiro dia de evento, acontecerá, das 11h às 12h, um overview do Ecossistema Mexicano e oportunidades que o país oferece. Logo em seguida, a palestra “Como abrir uma empresa no México: regras contábeis, bancárias e jurídicas. As atividades do dia serão finalizadas com o tema:  “Contratação de um profissional mexicano: leis e regulamentos.

Os trabalhos do último dia do Bootcamp começam às 10h com “Introdução às Aceleradoras Mexicanas. Das 11h às 12h, será a vez da palestra “Introdução às aceleradoras e aos benefícios oferecidos como investimentos governamentais, “business visa” e “startup visa”.  E para encerrar o encontro, as empresas participantes  assistirão ao tema “Empresas brasileiras no México:  jornada no país.

As inscrições para o Bootcamp estão abertas e podem ser efetuadas aqui.

A reunião, que será por videoconferência, ocorrerá no dia 30  abril 2021

 

Brasília, 13 de abril de 2021 – A Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex  realizará, no dia 30 de abril 2021, a Assembleia Geral Ordinária.

Com o objetivo de reunir os associados em dia com as obrigações sociais, com foco na deliberação de questões de competência da Assembleia, a reunião entre os associados  atende ao disposto do Estatuto Social da Softex. Cabe lembrar que, em razão das restrições nos encontros presenciais, o encontro  será realizado  de forma on-line.

O Edital de Convocação está disponível em www.softex.br/download/edital-de-convocacao-para-assembleia-geral-ordinaria/

Atuante em prol do desenvolvimento da Transformação Digital há quase 25 anos, a Sofex cria, promove e executa iniciativas no âmbito nacional e internacional nas áreas de tecnologia e informação.

Com sede em Brasília (DF) e em Manaus (AM), a Softex possui 6 Áreas, 21 Agentes Regionais, 1 Aceleradora exclusiva e mais 19 parceiras e 51 Instituições de Ciência e Tecnologia. Beneficia a aceleração de mais de 5 mil startups e cerca de 6 mil empresas. Atua em todos os estados do Brasil e em 20 países nos setores Industrial, Agronegócio, Comércio e Serviços e Logística nas verticais Gás e Óleo, Telecomunicações, Saúde, Aeroespacial, Automotivo, Segurança.

O MCTI Futuro pretende capacitar profissionais e programadores com experiência prática em todo o país e será lançado no mês de maio

Por Karen Kornilovicz
Assessoria de Imprensa Softex

Brasília, 7 de abril de 2021 – Na noite dessa terça-feira (6), o ministro Marcos Pontes, durante seu tradicional “Bate-Papo Ciência & Tecnologia” no canal do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações no YouTube, anunciou o lançamento no próximo mês de maio de um novo programa nacional de tecnologia: o MCTI Futuro.

O programa, que visa promover a capacitação tecnológica em larga escala de pesquisadores e estudantes em tecnologias emergentes, será coordenado pela Softex. Para a sua realização – em modelo de parceria público privada – já foram firmadas parcerias com mais de 40 empresas beneficiárias da Lei de TICs (Lei n◦ 8.248/191) e mais de 30 ICTs credenciadas ao CATI.

“O futuro pertence ao conhecimento e aos jovens. Milhares deles terão a oportunidade de trabalhar no setor de TICs graças a esse esforço conjunto entre governo, empresas e ICTs. Esta é mais uma forma de transformarmos o conhecimento em produtos e geração de divisas para o país”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

 

Segundo dados de um levantamento realizado pela unidade de inteligência, estudos e pesquisas da Softex, o déficit de profissionais de TI no país deverá superar 408 mil em 2022. E o processo de transformação digital, acelerado pela pandemia, tende a reforçar ainda mais a demanda por especialistas em tecnologias emergentes, justamente o foco do MCTI Futuro.

Para o presidente da Softex, Ruben Delgado, “trata-se de um modelo inovador e escalável de capacitação, focada tanto no trabalho do futuro como no futuro do trabalho”.

Participaram do bate-papo o presidente da Assespro, Italo Nogueira; o presidente da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo; o presidente da Datacom e do Conselho Superior da Associação P&D Brasil, Antonio Carlos Porto; o diretor da Inatel, Carlos Nazareth Marins; e o diretor de Planejamento e Relações Institucionais – Embrapii/MCTI, José Luis Gordon.