A Softex informa que estão abertas as inscrições para candidatos a Auditor das avaliações MPS.BR, documentação em papel, tanto de software quanto de serviços.

São 5 (cinco) vagas para Auditores de Software e 5 (cinco) vagas para Auditores de Serviços.

Para candidatar-se a Auditor do Grupo de Auditores do MA-MPS, o avaliador líder do MPS interessado deverá:

 

  1. Preencher TODOS os requisitos abaixo:

Vaga – Auditores de Software 

  • ser avaliador líder intermediário ou experiente;
  • ter feito pelo menos 6 (seis) avaliações como avaliador líder no período de 3 (três) anos (nos últimos 36 meses);
  • ter indicação positiva das suas últimas 3 (três) auditorias;
  • solicitar ser auditor para a Softex; e
  • ser aprovado pelo FCC

Vaga – Auditores de Serviços

  • ser avaliador líder intermediário ou experiente;
  • ter feito pelo menos 6 (seis) avaliações como avaliador líder no período de 3 (três) anos (nos últimos 36 meses);
  • ter indicação positiva das suas últimas 3 (três) auditorias;
  • solicitar ser auditor para a Softex;
  • ser aprovado pelo FCC; e
  • ter conduzido pelo menos 2 (duas) avaliações no MR-MPS-SV.

Para se candidatar envie para a Softex, via e-mail mpsbr@softex.br, até 11 de julho de 2018:

  1. sua solicitação para ser Auditor informando o interesse para a vaga de software e/ou serviços;
  2. seu currículo resumido e atualizado; e
  3. comprovante de depósito referente valor da inscrição – R$ 300,00 (trezentos reais) – que deverá ser feito na conta:

Banco do Brasil Ag: 0052-3

C/c: 112765-9

CNPJ: 01.679.152/0001-25

 

Validade da habilitação como Auditor do MPS será de 3 (três) anos, desde que sempre participante de uma Instituição Avaliadora habilitada pela Softex.

Caso o número de inscrições de candidatos considerados habilitados ultrapassar o número de vagas, para a composição do grupo, será respeitada a ordem cronológica de recebimento das inscrições.

A Softex torna público o resultado do Edital “Chamada para Habilitação das Instituições Credenciadas ao CATI”, no âmbito do Programa Prioritário Softex, realizada entre os dias 21 de março e 15 de maio de 2018.

Com a evolução da informática e o aumento substancial de investimentos nesta área em todos os países, observa-se uma demanda crescente pela proteção de softwares, face à concorrência desleal e à cópia desautorizada desse ativo intangível. Registrar o programa de computador (software) , garante maior segurança jurídica ao seu detentor, caso haja, por exemplo, demanda judicial para comprovar a autoria ou titularidade do programa.

No Brasil, o registro de programa de computador é concedido pelo INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial, e protege automaticamente os direitos do usuário em 176 países que fazem parte da Convenção de Berna, com vigência de 50 anos. A proteção à propriedade intelectual dos programas de computador é estabelecida pela Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998.

Desde o dia 12 de setembro de 2017, o novo sistema online para registro de programa de computador foi lançado no INPI e os usuários contam com um serviço mais ágil, seguro e totalmente informatizado. Esse novo sistema é realizado somente via on line, o que contribuiu para a desburocratização dos procedimentos de registro, com a diminuição do tempo médio para a concessão do certificado de registro para até 07 dias úteis, a um custo baixo (atualmente R$185,00) e com uma maior segurança jurídica para o usuário, com a adoção da assinatura digital. Maiores informações podem ser adquiridas no Manual do usuário: http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/programa-de-computador/programa-de-computador-manual-completo .

Entidade será responsável pela presidência e coordenação do Virtual Educa no país

A Softex firmou com a Virtual Educa, organização dedicada a impulsionar a inovação na Educação com o objetivo de promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável na América Latina e no Caribe, convênio para assumir a coordenação e a presidência do Virtual Educa no Brasil.

A assinatura do acordo ocorreu durante o lançamento da plataforma Think Blue (Pense Azul), do Banco Mundial, voltada à promoção de cursos para o conhecimento educacional e de sustentabilidade dos oceanos, que conta com o apoio da Virtual Educa. Participaram da solenidade José Maria Antón, secretário-geral do Virtual Educa, e Ruben Delgado, presidente da Softex.

O Virtual Educa passa a ser um programa permanente da Softex focado no aprimoramento da Educação por meio da inovação e da tecnologia. Pelo convênio, as parcerias e projetos desenvolvidos no Brasil por meio do Virtual Educa serão executados pela Softex, o que pode também ocorrer em outros países associados à iniciativa, em caso de interesse. Projetos e programas do Virtual Educa provenientes de outros países serão conduzidos pela Softex no Brasil.

“Entendemos a Virtual Educa como um parceiro estratégico para unir e consolidar a América Latina na Educação. Temos problemas comuns nesta área e por isso mesmo podemos construir e implementar soluções que atendam as necessidades dos países da região. A cooperação é a estratégia correta para que o continente não só eleve seu status educacional, mas para que ele também se apresente de forma mais robusta nos principais mercados internacionais. Somente com a cooperação entre nossos países vizinhos podemos ganhar musculatura e assim nos tornarmos competidores globais”, analisa Ruben Delgado.

Ele lembra ainda que a Softex mantém convênios de colaboração com a Virtual Educa desde 2016 para promover as empresas brasileiras de produtos e serviços voltados para a educação, com destaque para a área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), na região das Américas.

A Virtual Educa foi estabelecida em 2003 pela Organização dos Estados Americanos (OEA) e pela Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB) e opera através de alianças com organismos internacionais, entidades de ensino, agências de cooperação e de instituições públicas e privadas, reunindo os setores público, empresarial, acadêmico e sociedade civil.

Desenvolve, entre outras iniciativas, encontros e foros globais para apresentar políticas e práticas no campo da educação e da formação profissional – como o Virtual Educa Bahia 2018, realizado entre os dias 5 e 8 de junho em Salvador; e projetos de estímulo à inovação em diversas áreas da educação. É o caso do Think Blue, portal para a inovação na educação oceânica com cursos voltados para o conhecimento educacional e de sustentabilidade nos diversos âmbitos dos recursos marítimos como pesca, alimentação, turismo e transporte.

Fonte: Virtual Educa Media.