Programa IA2 MCTIC selecionará até 100 projetos de P&D

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com o apoio da Softex, anunciou ontem (4) em Brasília o lançamento do edital doPrograma IA2 MCTIC, iniciativa que integra a Estratégia Brasileira para Inteligência Artificial (IA) em construção pelo Governo Federal e que envolve entre seus principais eixos temáticos segurança pública, aplicação nos setores governamental e produtivo e na força de trabalho.

Seu objetivo é selecionar 100 e financiar até 30 projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) orientados ao desenvolvimento de soluções em Inteligência Artificial e orçados em até R$ 500 mil cada.

Participaram da solenidade de lançamento o Ministro em exercício Júlio Semeghini; Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação (SEMPI/MCTIC); e Ruben Delgado, presidente da Softex.

“O Programa surgiu para atender uma demanda do próprio mercado. No ano passado, as empresas beneficiadas pela Lei de Informática investiram R$ 100 milhões em pesquisa e desenvolvimento em Inteligência Artificial. Então, nosso intuito é estimular projetos colaborativos nessa área, por meio da inovação aberta, com recursos da nova Lei de TICs”, explica o secretário Paulo Alvim.

O IA2 MCTIC engloba um trabalho em quatro frentes: empresas interessadas em testar tecnologias de IA a partir de desafios enfrentados em suas organizações (empresas âncoras); aceleradoras, responsáveis pelo investimento e suporte aos executores dos projetos de P&D selecionados e na escalabilidade de seus modelos de negócios; instituições do CATI, responsáveis pelo apoio e acompanhamento do desenvolvimento da solução e suporte tecnológico; e startups, empresas de TI que executarão os projetos de P&D sob a orientação e com o apoio do CATI e das aceleradoras.

“Com abrangência nacional, esse novo programa de inovação aberta nos permitirá promover um processo de aceleração tecnológica por meio do desenvolvimento de soluções de impacto que incorporem Inteligência Artificial, uma tecnologia cada vez mais presente no mundo e considerada uma das maiores promessas não apenas para o futuro da humanidade, mas também das empresas. Desta forma, aumentaremos tanto a competitividade como a internacionalização das tecnologias brasileiras, bem como a competitividade, a inovação e a eficiência do setor produtivo nacional”, avalia Ruben Delgado, presidente da Softex.

Neste primeiro momento, o edital fará uma chamada para instituições credenciadas ao CATI (ICTs) e aceleradoras com experiência aplicada em IA. Na sequência, o Programa efetuará a seleção de startups, empresas de TI e grupos de pesquisa que apresentem modelos de negócios escaláveis e soluções de IA.

Para mais informações sobre o Programa IA2 MCTIC visite http://softex.br/iamctic/

Com o  objetivo de capacitar os professores da Região Amazônica em Educação Empreendedora e fomentar metodologias ativas voltadas ao ensino do empreendedorismo nas salas de aula, a Softex, no âmbito do PPEI (Programa Prioritário de Fomento ao Empreendedorismo Inovador), promoveu nesta terça-feira (28) no Samsung Ocean Center, em Manaus, a primeira edição do workshop “Professores do Futuro – Uma nova perspectiva através do empreendedorismo”.

A programação do evento, que reuniu mais de 40 educadores, incluiu uma apresentação sobre o futuro do trabalho e da educação, uma análise sobre a importância do Empreendedorismo Inovador para Amazônia e da Lei de Informática, uma imersão na bem-sucedida experiência de Edtech em escala global em Israel e uma abordagem sobre o Modelo Flywheel (novas tecnologias geram novos modelos de negócios e exigem novas formas de gestão).

O workshop contou com as participações de Diônes Lima, Vice-presidente da Softex; Michella Lima, Professora Adjunta da Universidade Estadual da Amazônia (UEA) e Head de Mobilização de Ecossistema do Projeto Ocean Startups do Samsung Ocean Center Manaus; Aldo Evangelista, presidente da Comissão de Direito Digital, Startups e Inovação da OAB-AM; Rodrigo Diniz co-founder do Vallyup; Camila Falabella UX Designer no CITS Amazonas; Reinier Freitas, Empreendedor Educacional e Fundador da Comunidade dos Educadores Inovadores da Amazônia – EduInovAM.

Uma pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor), apontou que em torno de 52 milhões de brasileiros possuem um negócio próprio. “Apesar desse cenário promissor, temos o desafio de implementar programas e ações de educação empreendedora já na sala de aula, de fomentar o empreendedorismo na graduação, na pós-graduação e também capacitar professores para a importância desse tema. Só assim conseguiremos estimular o nascimento, o desenvolvimento e o crescimento de novos negócios com produtos e serviços cada vez mais inovadores e de alto valor agregado”, analisa Diônes Lima, Vice-Presidente da Softex. 

Projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes e equipes trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa

Manaus sediou hoje (27) o evento de boas-vindas (Welcome Aboard) do Conecta Startup Brasil, o primeiro grande encontro entre as 20 equipes empreendedoras e startups da região Norte selecionados para o Programa, sendo 7 de Manaus, 7 do Pará, 2 de Rondônia,  1 de Roraima, 1 do Amapá e 2 do Tocantins.

As manauaras são: ALLtism, Amazon Doors, Amazonzyme , EuDireto, Expedito Belmont, Iparto e Software Lucca.

Participaram da solenidade Leonardo Freitas, Coordenador de Empreendedorismo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex; e Rayanny Nunes, gerente de inovação e empreendedorismo da Softex. A programação incluiu, entre outras atividades, uma apresentação geral sobre o Programa, pitches das startups selecionadas, um painel sobre inovação aberta e uma rodada de mentoria.

Resultado de uma ação conjunta entre o MCTIC, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTIC, o Conecta Startup Brasil se destaca por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil.

Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes. Foram selecionadas 100 equipes sendo 20 times de cada região que trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa em agosto, entre as quais estão 3M, Grupo Boticário, Natura, Usiminas, Votorantim Cimentos, Johnson & Johnson, Fiat e BASF.


Das 1.877 equipes empreendedoras inscritas no Programa, 27,8% são do Sudeste, 26,3% do Nordeste, 19,5% do Sul, 14,4% do Norte e 12% do Centro-Oeste. Na divisão pelo maior número de inscritos, São Paulo lidera com 190, seguido pelo Rio de Janeiro (127), Santa Catarina (119), Paraná (118) e Rio Grande do Sul (111).  Considerando as áreas de atuação, nota-se uma grande representatividade de startups das áreas de Agronegócio (16%), Saúde e Bem-estar (16%) e Indústria 4.0 (15%).

 
Outra importante conquista do Programa envolve a capacitação de empreendedores/startups e indústrias para a atuação em projetos de inovação tecnológica por meio de plataforma de ensino a distância (EAD) que já conta com 1.192 alunos de 18 estados brasileiros e do Distrito Federal.


Para mais informações sobre o Conecta Startup Brasil acesse https://conectastartupbrasil.org.br/

Projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes e equipes trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa

O Rio de Janeiro sediou hoje (23) o evento de boas-vindas (Welcome Aboard) do Conecta Startup Brasil, o primeiro grande encontro entre as 20 equipes empreendedoras e startups da região Sudeste selecionados para o Programa, sendo 12 do Rio De Janeiro, 4 de São Paulo, 2 de Minas Gerais e 2 do Espírito Santo.

As cariocas são: Drone Intelligence, Big Bang a força do Varejo, Biometric IT, Genecoin, InspecPRO, Instituto Hidrocarboneto, OrganChip, Pró-Reforma, Receita Digital, Treinamentos Inteligentes, Turma1 e YUDOC.

Participaram da solenidade Leonardo Freitas, Coordenador de Empreendedorismo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex; e Rayanny Nunes, gerente de inovação e empreendedorismo da Softex. A programação incluiu, entre outras atividades, uma apresentação geral sobre o Programa, pitches das startups selecionadas, um painel sobre inovação aberta e uma rodada de mentoria.

Resultado de uma ação conjunta entre o MCTIC, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTIC, o Conecta Startup Brasil se destaca por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil.

Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes. Foram selecionadas 100 equipes sendo 20 times de cada região que trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa em agosto, entre as quais estão 3M, Grupo Boticário, Natura, Usiminas, Votorantim Cimentos, Johnson & Johnson, Fiat e BASF.


Das 1.877 equipes empreendedoras inscritas no Programa, 27,8% são do Sudeste, 26,3% do Nordeste, 19,5% do Sul, 14,4% do Norte e 12% do Centro-Oeste. Na divisão pelo maior número de inscritos, São Paulo lidera com 190, seguido pelo Rio de Janeiro (127), Santa Catarina (119), Paraná (118) e Rio Grande do Sul (111).  Considerando as áreas de atuação, nota-se uma grande representatividade de startups das áreas de Agronegócio (16%), Saúde e Bem-estar (16%) e Indústria 4.0 (15%).

 
Outra importante conquista do Programa envolve a capacitação de empreendedores/startups e indústrias para a atuação em projetos de inovação tecnológica por meio de plataforma de ensino a distância (EAD) que já conta com 1.192 alunos de 18 estados brasileiros e do Distrito Federal.


Para mais informações sobre o Conecta Startup Brasil acesse https://conectastartupbrasil.org.br/

Projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes e equipes trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa

Florianópolis sediou hoje (20) o evento de boas-vindas (Welcome Aboard) do Conecta Startup Brasil, o primeiro grande encontro entre as 20 startups do Sul (9 de Santa Catarina, 4 do Paraná e 6 do Rio Grande do Sul) selecionadas para o programa antes da fase inicial de Conceituação.  As catarinenses são: ED3, LotsApp, JC flux, Closin Tecnologia, SySPrevention, TechPain, SafeLive Treinamentos de Realidade Virtual, TailTechnology e Salutho.

Participaram da solenidade o Dr. Jorge Mario Campagnolo, diretor do Departamento de Tecnologias Estruturantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex e Rayanny Nunes, gerente de inovação e empreendedorismo da Softex. A programação incluiu, entre outras atividades, um breve pitch das startups e uma rodada de mentoria.

Resultado de uma ação conjunta entre o MCTIC, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTIC, o Conecta Startup Brasil se destaca por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil.

Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes. Foram selecionadas 100 equipes sendo 20 times de cada região que trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa em agosto, entre as quais estão 3M, Grupo Boticário, Natura, Usiminas, Votorantim Cimentos, Johnson & Johnson, Fiat e BASF.

Das 1.877 equipes empreendedoras inscritas no Programa, 27,8% são do Sudeste, 26,3% do Nordeste, 19,5% do Sul, 14,4% do Norte e 12% do Centro-Oeste. Na divisão pelo maior número de inscritos, São Paulo lidera com 190, seguido pelo Rio de Janeiro (127), Santa Catarina (119), Paraná (118) e Rio Grande do Sul (111).  Considerando as áreas de atuação, nota-se uma grande representatividade de startups das áreas de Agronegócio (16%), Saúde e Bem-estar (16%) e Indústria 4.0 (15%).

Outra importante conquista do Programa envolve a capacitação de empreendedores/startups e indústrias para a atuação em projetos de inovação tecnológica por meio de plataforma de ensino a distância (EAD) que já conta com 1.192 alunos de 18 estados brasileiros e do Distrito Federal.

Para mais informações sobre o Conecta Startup Brasil acesse https://conectastartupbrasil.org.br/

Projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes e equipes trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa

Recife sediou hoje (16) o evento de boas-vindas (Welcome Aboard) do Conecta Startup Brasil, o primeiro grande encontro entre as 20 startups do Nordeste participando do programa antes da fase inicial de Conceituação. Destas, cinco são pernambucanas: Stayhall, Dispor Energia, iChords, Flink e Omniturn

Participaram da solenidade Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação (SEMPI/MCTIC); Rayanny Moraes, da Softex Nacional, e Daniel Lima, community manager do Softex Recife. A programação incluiu, entre outras atividades, um breve pitch das startups e uma rodada de mentoria.

Resultado de uma ação conjunta entre o MCTIC, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTIC, o Conecta Startup Brasil se destaca por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil.

Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes. Foram selecionadas 100 equipes sendo 20 times de cada região que trabalharão para solucionar um dos 237 desafios reais mapeados pelas 50 empresas que aderiram ao Programa em agosto, entre as quais estão 3M, Grupo Boticário, Natura, Usiminas, Votorantim Cimentos, Johnson & Johnson, Fiat e BASF.

Das 1.877 equipes empreendedoras inscritas no Programa, 27,8% são do Sudeste, 26,3% do Nordeste, 19,5% do Sul, 14,4% do Norte e 12% do Centro-Oeste. Na divisão pelo maior número de inscritos, São Paulo lidera com 190, seguido pelo Rio de Janeiro (127), Santa Catarina (119), Paraná (118) e Rio Grande do Sul (111).  Considerando as áreas de atuação, nota-se uma grande representatividade de startups das áreas de Agronegócio (16%), Saúde e Bem-estar (16%) e Indústria 4.0 (15%).

Outra importante conquista do Programa envolve a capacitação de empreendedores/startups e indústrias para a atuação em projetos de inovação tecnológica por meio de plataforma de ensino a distância (EAD) que já conta com 1.192 alunos de 18 estados brasileiros e do Distrito Federal.

Para mais informações sobre o Conecta Startup Brasil acesse: https://conectastartupbrasil.org.br/