Enquanto nos principais mercados mundiais os investimentos programados pelos CIOs para este ano estão direcionados ao crescimento e ao aumento de market share – cliente, no Brasil o foco principal é a transformação digital, às vezes confundida com a informatização da empresa. Esses dados, apresentados por William Hoffert, diretor de desenvolvimento de negócios do Gartner na palestra de abertura do Export Day 2018, fazem parte do estudo “A agenda do CIO para 2018”. Realizado pela consultoria, ele ouviu 3.160 executivos de 98 países responsáveis pela administração de um budget total de US$ 277 bilhões para investimentos em TI.

“Há tempos os CIOs brasileiros são pressionados a fazer mais com menos. Anos de contenção retardaram o avanço da TI no país, principalmente nas grandes empresas, mas a transformação digital tornou-se um imperativo comercial e é preciso tirar esses anos de atraso de alguma forma” disse William Hoffert.

O Export Day, promovido ontem (26) em São Paulo pela Softex e pela Apex-Brasil, reuniu mais de 150 pessoas interessadas em levar seus negócios para além das fronteiras nacionais. Este ano, o encontro analisou de que forma o cliente pode colaborar para a expansão global das empresas de TI brasileiras.

Foi exatamente o que ocorreu com a Navita, especializada em serviços gerenciados de mobilidade e telecomunicações, um dos cases destacados durante o Export Day. “A parceria com a Telefônica nos permitiu promover melhorias no produto e nos abriu oportunidades para fecharmos acordos com clientes na Austrália, Oriente Médio, Europa, Estados Unidos e países da América Latina”, disse Roberto Dariva, presidente da Navita.

“O Export Day surgiu para ser um dia dedicado à discussão de estratégias de internacionalização. Nesta edição, entretanto, decidimos fazer isso focando na agendado CIO, com uma visão da demanda local face às tendências globais de headquarters de grandes corporações. Essa trilha será seguida ao longo de todo este ano”, destacou Guilherme Amorim, gestor do Projeto Setorial Softex.

No espaço da programação dedicado à apresentação de casos de sucesso de internacionalização nos segmentos de telecom, saúde, varejo e fintech foram também destacadas, além da Navita, as experiências da Ícaro Tech, MV, Propz e BRQ, que acaba de fazer o spin-off da Thoruss, startup especializada em soluções para a plataforma blockchain. Para dialogar com esses cases, o painel CIOs trouxe representantes da Ericsson, SulAmérica, PepsiCo e Bradesco que, com intermediação da TGT Consult, debateram as possibilidades de inovação aberta junto a fornecedores de porte médio e startups.

Entretanto, a, expansão global demanda capital para investimento e por isso o Export Day reservou um painel especial para explicar como e quando captar recursos junto a fundos de investimento e instituições financeiras. Ele contou com as participações de Thiago Ferreira, gerente de Comércio Exterior da BNDES; João Pirola, diretor de investimentos da Inseed; Paulo Caputo, sócio-fundador da Oria Capital; e Marcelo Vitali, sócio-diretor da ORBIZ, parceira da Imprimatur Capital baseada em Londres.

“Se antes, no momento do estudo do aporte, analisávamos a jornada do empreendimento, a composição do time, o posicionamento de mercado, os diferenciais competitivos e o comprometimento do empreendedor, hoje nossas teses de investimento avaliam também o viés exportador da empresa que, após a crise econômica, passou a ser um diferencial e até mesmo uma necessidade”, ponderou João Pirola, diretor de investimentos da Inseed.

Outro aspecto relevante para o sucesso global de uma organização é a inovação e a criação parcerias adequadas que podem impulsionar o sucesso de uma organização no mercado externo, mas a sua sobrevivência no ambiente local. Foi o que abordou Mauricio Costa, diretor do HUB55, que representa a Universidade de Yale no Brasil e o programa Innovation Boost.

Segundo Costa, tecnologias como blockchain e inteligência artificial são o caminho obrigatório para negócios que querem se internacionalizar. “As empresas brasileiras são desafiadas a ser competitivas diariamente, mesmo com impostos altos e complexos, regras nem sempre claras, cultura de negócios baseada no ‘jeitinho’ e economia altamente volátil. Os negócios no exterior são um grande desafio, porém, com retorno diversificado, principalmente com o uso de modernas tecnologias”, explicou o executivo, que é mestre em Management of Technology pelo Massachusetts Institute of Tecnology (MIT).

A 5ª edição do Export Day marcou ainda o kick-off do International Way, uma boutique de soluções de baixo custo e atalhos construídos pela Softex para auxiliar o processo de internacionalização de forma mais ágil, enxuta e eficiente.

Na oportunidade, foram lançados os trabalhos do MeetUp CIO – para aproximação entre empresas fornecedoras de soluções, investidores e CIOs com demandas alinhadas a tendências globais – e apresentadas ferramentas de apoio para soft landing em mercados internacionais. Trata-se de um arcabouço de preparação oferecido pela Softex para empresas de TI na prospecção de clientes, de novos mercados e de potenciais investidores.

Segundo dados da Softex, as empresas de software e serviços de TI exportaram cerca de R$ 3,7 bilhões no ano passado e as 300 integrantes do Projeto Setorial Brasil IT+ colaboraram com a expressiva quantia de R$ 1,5 bilhão para a balança comercial do país.

O Mobile Word Congress (MWC), o maior encontro mundial da indústria móvel, reuniu durante quatro dias as principais empresas de telecom e fornecedores de soluções em mobilidade do mundo. Diante da relevância global do evento, que apresentou as últimas tendências em IoT, Blockchain e 5G, o Brasil não podia ficar de fora. Com uma delegação composta por 17 empresas e muitos convidados, presença brasileira, apoiada pela Softex e Apex-Brasil, foi destaque em meios de comunicação internacionais. Veja a seguir os melhores momentos da participação verde e amarelo na #MWC2018.

Dentre as dezenas de reuniões que ocorreram dentro e fora do estande do Brasil, destacamos os encontros com a operadora de telefonia francesa Orange, interessada no Plano Nacional de IoT, e com a Qualcomm. Para esta última, que anunciou recentemente investimentos de US$ 200 milhões numa fábrica de chipsets no Brasil, a IcaroTech pode apresentar iniciativas em IoT que estão sendo alavancadas por PMEs no ecossistema de Campinas.

Francisco Soares, da Qualcomm, com representantes da Tokenlab, MT4, Sikur, Vortigo e IcaroTech. E Chritophe Flaux, da Orange, com executivos da Sofrecom, Navita, Bwtech, EveryTI e IcaroTech

A #MWC2018, que reuniu também delegações governamentais de dezenas de países, permitiu que empresas como a MT4, cool vendor Gartner 2017, tratasse de compras governamentais de tecnologias brasileiras diretamente com o Secretário de Telecomunicações André Borges. Na ocasião, seu CEO, Marcus Scharra, ressaltou a importância do desenvolvimento de tecnologias nacionais em cibersegurança para a proteção da infraestrutura do país. Já o Senador Walter Pinheiro e Rubén Delgado, presidente da Softex, destacaram a importância do desenvolvimento de tecnologias voltadas para a educação, segmento relevante para as empresas Positivo Informática e EITV que acompanhavam a delegação.

André Borges, Secretário de Telecomunicações, e Paulo Viana, cônsul-adjunto, acompanhados das empresas MT4, Certisign e Telefônica. E o Senador Walter Pinheiro, que destacou a educação em seu discurso que contou com a presença da Positivo Informática

Quanto às tendências tecnológicas apresentadas pela #MWC2018, destacamos a oportunidade que a delegação teve de refletir on-site sobre como o Brasil pode projetar mundialmente uma proposta de valor aderente a tendências como BI, Big Data e inteligência artificial, pilares da revolução tecnológica em IoT. Veja a seguir como o lounge do estande brasileiro esteve movimentado durante o encontro.

Tiago Machado, da Ericsson e Daniel Schiffer, da Telefônica, trataram dos desafios da transformação digital nas operadoras. A Wavy, do grupo Movile, participou do encontro com a Telefônica, com a qual mantém parceria em app de educação

No tema Fintechs, Rodrigo Mulinari e Rudnei Dutz contaram sobre o LAB do Banco do Brasil no Vale do Silício e sua parceria com a startup Rocket.Chat, integrante da delegação. A brasileira BRQ, uma das 100 maiores fintechs do mundo segundo o IDC, prestigiou a apresentação do BB

O MCTIC, representado pelo Secretário de Informática Tiago Camargo, e o BNDES, por Ricardo Rivera e Carlos Azen, trouxeram em primeira mão os avanços do Plano Nacional de IoT

Para Tiago Gaspar, CEO da Tokenlab, empresa da delegação com solução de destaque em blockchain, “a expectativa é muito positiva para o plano de incentivo a IoT. Acho que pode estimular muito a inovação no setor e está bem alinhado com o que fazemos”, afirmou. Já para Douglas Bermeijo, CEO da Control, que atua fortemente na área de logística e Smart City, “a linha de financiamento proposta pelo BNDES com apoio do MCTIC  é uma boa solução para a captação de recursos, uma vez que não há geração de receitas no período de pesquisa e desenvolvimento, fazendo com que as empresas  fiquem restritas aos recursos financeiros  de seus sócios”.

E para não dizer que nos despedimos da #MWC2018 sem dar uma conferida nos gadgets lançados durante evento, vale a pena assistir ao vídeo produzido pela Vortigo, expositora no estande brasileiro, bem como ler a matéria da WIRED, com destaque para o celular SikurPhone, também apresentado em nosso estande. Em relação ao tema hype do momento, blockchain, a diretora de inovação da Certisign, maior certificadora da América Latina, deixou sua opinião, enquanto a Senior a Rocket.Chat trataram de 5G e inovações na América Latina em entrevistas para a CNN.

Delegação nacional contará com a participação de 17 empresas

Com os objetivos de gerar novos negócios e também mapear tendências e inovação em Internet das Coisas (IoT), o Brasil estará presente uma vez mais ao Mobile World Congress (MWC). O maior encontro mundial da indústria móvel será realizado em Barcelona, na Espanha, de 26 de fevereiro a 1◦ de março.

Em mais uma ação do Brasil IT+, iniciativa de cooperação desenvolvida pela Softex e pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), 17 empresas de software e serviços de tecnologia da informação estarão presentes ao evento pelo quinto ano consecutivo.

“O MWC projetará para o mundo a proposta de valor das soluções móveis desenvolvidas no Brasil e que estão totalmente aderentes às últimas tendências em BI, Big Data e inteligência artificial, pilares da revolução tecnológica d IoT”, destaca Ruben Delgado, presidente da Softex. Ele acompanhará a delegação nacional e também o Secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Thiago Camargo.

Os visitantes do estande Brasil IT + encontrarão um portfólio robusto e diversificado integrado por soluções de segurança e criptografia produtos de conteúdo para operadoras e plataformas de mídia digital. O espaço contempla sala de reuniões para encontros formais e um lounge para encontros casuais e apresentações rápidas.

Irão compor o pavilhão brasileiro no MWC 2018 BRQ, Bwtech, Certisign, Control Informática, EiTV, EveryTI, Icaro Tech, MT4, MC1, Navita, RocketChat, Senior, Sikur, Tokenlab, Vortigo, W5 e a Wavy, recentemente criada pelo Grupo Movile.

“Projetamos cerca de U$ 30 milhões em negócios para empresas participantes nos próximos 12 meses, o que representa um retorno de 80 vezes sobre o investimento aportado pelos envolvidos nesta ação do Brasil IT+”, conclui o presidente da Softex.

Reuniões de negócios já estão pré-agendadas com players globais que visitarão o estande. A agenda contempla também visitas à Qualcomm e à operadora de telefonia francesa Orange e a apresentação de conteúdos da Oracle, Ericson e Banco do Brasil, além de representantes do MCTIC e do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) explicando o Plano Nacional de IoT.

Considerado o principal encontro mundial da indústria de comunicação móvel, o MWC recebeu no ano passado mais de 108 mil visitantes e tem confirmada a participação de 2.300 expositores de 40 países.

Saiba mais sobre o evento em: http://bit.ly/2ENAZFz

 

Brasil IT+ no Mobile World Congress
Data:
25 de fevereiro a 1 de março
Local: Fira Gran Via – Av. Joan Carles I, 64 – Barcelona

Estande: Hall 8.1 E11

Nos dias 7 e 8, a Softex e Apex-Brasil, realizou o Workshop Challenger Selling. Conduzido por Jorge Mourkarzel da Advance Consulting, o evento explorou técnicas e estratégias para vendas assertivas em mercados competitivos de tecnologia. Jorge conta com mais de 20 anos como alto executivo de grandes empresas de TI e telecomunicações sendo reconhecido e premiado em corporações como Siemens, Equitel e Itautec.

O workshop reuniu cerca de 20 CEOs e diretores de empresas do setor de TI, vindos de diferentes regiões do Brasil e atuantes em diversos segmentos como segurança, saúde, farmácia, help desk, vendas diretas, gerenciamento de portfólio, finanças e siderurgia.

O setor de saúde foi representado pela MV, líder de mercado em sistemas de gestão. Segundo Ricardo Souza, Gerente de Negócios Internacionais “iniciativas como International Way alavanca nossa história na internacionalização de empresas”. A MV está comemorando nesta semana seu aniversário de 30 anos! Parabéns MV! #MVExperienceForum2017 #bebrasil.

Nos 12 a 14 de setembro será realizado em San Francisco/CA o Mobile World Congress Americas.

O Mobile World Congress Americas mostrará como o mobile está criando a vida conectada, transformando o jeito como indivíduos, empresas e indústrias inteiras se comunicam, interagem e inovam.

O evento irá destacar as principais tecnologias móveis, aplicações para consumidores e indústrias na Internet das Coisas, a interseção do mobile com entretenimento, conteúdo e mídia e o papel principal das Américas na condução da inovação global.

A Softex está realizando a CONSULTA DE INTERESSE em participar do evento.

A partir do retorno das empresas, poderemos dar andamento aos preparativos e definir os custos de participação.

Local: San Fracisco, CA – USA Data: 12 a 14 de setembro de 2017

Interesse

Os interessados em participar da ação devem manifestar-se até o dia 07 de agosto (segunda-feira). Eventuais dúvidas podem ser esclarecidas com Renata d’Aguiar através do e-mail renata@softex.br, telefone (61) 3327 2319.

A quarta edição do Export Day, organizado pela Softex, em parceria com a Apex-Brasil, reuniu dia 5 de maio no espaço Cubo, em São Paulo, empresas do setor de TI e especialistas nacionais e internacionais da América Latina e EUA. Na ocasião, foram anunciados os HUBs da Softex no exterior e a renovação do Projeto Setorial Softex-Apex/Brasil, o Brasil IT+.

Sob o tema “Deep Dive em mercados internacionais de TI” as empresas do setor puderam assistir e debater oportunidades de consolidação e aprofundamento estratégico em go to market. Abrindo a sessão de palestras, a Apex-Brasil apresentou possibilidades de estratégia de internacionalização com case Totvs; seguida pela Advance Consulting com técnicas para aumento do desempenho de vendas em mercados internacionais; Drummond Advisors com atualidades sobre tributos nos EUA e a Noxbe com ferramentas de analyst relations para internacionalização. Num segundo momento, sob ambiente de mesa redonda, a Universidade da Califórnia deu dicas de condução de pesquisa de mercados com case da Clear Sale; enquanto que Cubo Start fechou o evento junto de especialistas da América Latina com o quadro Conexão Latina: negócios em expansão na Florida, México, Colômbia e Chile.

Já no período da tarde foi realizado o Kick off do International Way que, sob facilitação de Helen Dwight, Head de Marketing Latam da SAP e CEO da BizFluency, contou com mentores da Europa, América Latina e Estados Unidos. As mesas temáticas Fintech e Agritech contaram ainda com a presença especial de Erico Fileno, diretor de Inovação da Visa e Paulo Pontin, Country Manager da Verizon. Na mesa agritech, Totvs e Verizon discutiram possibilidades de proposta de valor em IOT para a Agritech brasileira no exterior. As duas empresas já estão com reunião marcada para dar continuidade nas conversas iniciadas durante o Export Day. Para demais empresas participantes do evento, os trabalhos também devem continuar por meio de ações do Brasil IT+, renovado por mais dois anos com a Apex-Brasil. “O Objetivo do Projeto é que as empresas possam continuamente testar mercados, vivenciar ambientes de negócios, prospectar clientes e parceiros, enquanto geram negócios e trabalham no plano de expansão”, explica Guilheme Amorim, gerente executivo da Softex.