Com R$ 10 milhões em recursos, inciativa apoiará projetos em inteligência artificial no agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes

O Programa IA2 MCTI, iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) realizada com o apoio da Softex, anuncia a relação de 13 grupos de instituições credenciadas ao CATI (ICTs) e aceleradoras selecionadas.
Nesse novo programa que visa empregar a inteligência artificial para acelerar a evolução tecnológica em quatro áreas prioritárias – agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes – as ICTs e aceleradoras serão responsáveis pelo apoio, acompanhamento do desenvolvimento da solução e suporte tecnológico e as aceleradoras responderão pelo investimento e suporte na escalabilidade do modelo de negócios dos projetos de pesquisa selecionados.
O Programa IA2 MCTIC tem por objetivo selecionar 100 projetos de pesquisa para pré-aceleração e, na sequência, financiar até 30 deles, possibilitando que ICTs e aceleradoras atuem em conjunto com startups desenvolvendo soluções mais robustas e criando negócios de maior impacto. Além do fomento a novos negócios, ele viabiliza acesso aos mercados nacional e internacional por meio da inovação aberta.
O IA2 MCTIC oferece investimentos totais de até R$ 500 mil por projeto. As aceleradoras podem reter equity e o Programa realizará um aporte de co-investimento de mesmo valor.
Até o dia 28 de junho, prosseguem as inscrições para a seleção das startups, grupos de pesquisa e empresas de tecnologia interessadas em desenvolver soluções no âmbito do Programa. Na fase seguinte serão escolhidas as empresas-âncora para testar e investir nas tecnologias geradas.
Confira a relação dos 13 grupos de ICTs e aceleradoras selecionados:

 

Aceleradoras

Acelera Cimatec
Acelera MGTI
AgVenture Hub
Baita Aceleradora
Cotidiano Aceleradora
Darwin Startups
E-VOLVE.AC
FabriQ
Grow Plus
OBr Global
PRAIA – Programa em Rede de Apoio à Incubação e Aceleração
VENTIUR Investimentos em Novos Negócios S.A
WOW Aceleradora

 

ICTs

Associação Pró-Ensino Superior em Novo Hamburgo
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA
Fumsoft – Sociedade Mineira de Software
Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras – CERTI
Fundação CPQD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecom
Fundação Parque Tecnológico Itaipu – Brasil
Fundação Universidade de Brasília – UNB
Fundação Universidade de Caxias do Sul
Fundação Universidade de Passo Fundo
Instituto Atlântico
Instituto Certi Sapientia
Instituto das Cidades Inteligentes
Instituto de Pesquisas Eldorado
Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento
Instituto Federal de Educação Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
Pontifícia Universidade Católica do RS – PUC Porto Alegre
PUC PR Campus Curitiba
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – FIEB
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – FIESC
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Senai – FIEP
Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia
SOFTSUL – Associação Sul Riograndense de Apoio ao Desenvolvimento de Software
União Brasileira de Educação Católica
Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS
Universidade Federal de Santa Catarina

 

Para informações adicionais sobre o Programa IA2 MCTI site: https://softex.br/iamctic/

 

Conteúdo estará acessível ao público no Canal do Programa no Youtube

 

Para marcar o final de sua primeira fase (F1), o Programa Conecta Startup Brasil promoverá nos dias 18 e 19 de junho o “Conecte-se”, seu primeiro evento imersivo que, em razão da pandemia de coronavírus, será realizado de forma virtual e com conteúdo acessível ao público em geral.

Seu objetivo é proporcionar aos participantes um ambiente de conexão e networking por meio da oferta conteúdos diferenciados e capazes de orientar ainda mais as empresas e os empreendedores participantes, conectando-os ao ecossistema.

O Programa Conecta Startup Brasil se diferencia por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil e é resultado de uma ação conjunta entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTI.

A programação do “Conecte-se” inclui a realização de cinco painéis, duas mentorias coletivas (uma por dia), além de um happy hour para networking ao final de cada dia de evento. Na pauta, temas como paradigmas e proposições do ecossistema de inovação no Brasil; o papel social da inovação aberta; e como o ecossistema empreendedor regional tem se desenvolvido em meio à crise da COVID-19 e cenário de isolamento social. Participações confirmadas, entre outros especialistas, de representantes da FCA, 3M, Natura e das startups Amazon Doors, Flink e Urbanplan.

Dedicada à Conceituação, ou seja, de  validação do problema e início de construção da proposta de valor, a F1 do Conecta Startup Brasil selecionou 100 equipes empreendedoras, sendo que 53 delas estão conectadas com 36 empresas para desenvolvimento de inovação aberta. Nesta fase, com duração de 90 dias, foram promovidos diversos webinars de pré-aceleração, seções virtuais de mentoria e de acompanhamento das equipes empreendedoras que receberam, cada uma, um investimento de até R$ 20 mil em bolsas do CNPq.

Para a Fase 2 do programa, focada na Validação da solução e lançamento no mercado, serão selecionadas 50 equipes empreendedoras entre as 100 participantes da F1 e aportados recursos de até R$ 30mil em bolsas do CNPq. Com duração de 90 dias, suas atividades incluem conteúdos de pré-aceleração, mentorias e trabalho de acompanhamento.

Durante sua realização, os promotores do “Conecte-se” estimam reunir mais de 300 participantes entre empreendedores, representantes de empresas e dos parceiros executores; embaixadores, mentores, financiadores.

Para acompanhar os painéis, basta acessar  o canal do Conecta no Youtube pelo link: https://bit.ly/youtubeconecta

De fácil implantação, seu objetivo é maximizar a produtividade e os resultados das empresas por meio da melhoria e da otimização de processos

O programa MPS.BR – Melhoria do Processo de Software da Softex, atualizou seu modelo MPS-Software. As modificações incluem uma estrutura mais simples, com ênfase nos projetos da empresa e em processos capazes de apoiar o aumento da produtividade, o desempenho e a qualidade nos negócios. Totalmente baseado na realidade do mercado brasileiro, é compatível com a nova versão do CMMI e com as normas ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 33000.

Lançado há 16 anos, o MPS.BR é o único programa brasileiro de avaliação da capacidade de desenvolvimento de software e serviços voltado para setor de TIC e auxilia empresas de todos os portes na melhoria dos processos e na alavancagem da inovação, tornando-as mais competitivas e preparadas para os desafios do mercado.

O novo modelo MPS-Software é de mais fácil compreensão e implantação nas organizações, afinal, há uma crescente demanda do mercado por uma comprovação da aderência das empresas do setor de TICs a normas ou a modelos de referência de qualidade, como o MPS.BR.

“Além disso, a avaliação não apenas permite mensurar o grau de avanço das melhorias implementadas, como também auxilia na construção de um espírito de equipe em torno de uma meta comum”, explica Ruben Delgado, presidente da Softex.

O novo modelo MPS-Software pode ser implantado em organizações de qualquer perfil e tamanho e que empreguem qualquer metodologia, inclusive métodos ágeis. Comparado às normas estrangeiras, o MPS-Software tem menor custo de avaliação para atender às necessidades das empresas brasileiras.

O Programa MPS.BR contempla hoje três modelos de referência – Software, Serviços e Gestão de Pessoas – e conta com 9 instituições avaliadoras. Os três modelos do MPS contabilizam um total de 884 avaliações e mais de 6.500 pessoas capacitadas.

No quarto Webinar da série MPS.BR tratamos do tema RH Ágil com MPS: Engajamento e Cultura alinhados ao seu Modelo de Negócio, com participação de Amanda Walter, Edenilson Burity e Beta Monteiro.

Em nossas redes sociais você encontra a programação dos próximos eventos instagram.com/softex.nacional.

Acesse o link a seguir e confira o gravação do webinar e caso tenha perguntas fale com a gente: qualidade@softex.br

 

Enap lança Desafio Hackathon Covid-19:  Iniciativa busca novas tecnologias e o uso de Inteligência Artificial (IA) para o enfrentamento dos desafios econômicos gerados pela Covid-19

A Escola Nacional de Administração Pública (Enap) lança mais um desafio público. Dessa vez a instituição investe no formato de hackathon para encontrar soluções inovadoras para os impactos econômicos causados pela pandemia da Covid-19. O projeto é apoiado pela Microsoft Brasil. O evento, que acontece de 10 a 14 de junho, pretende gerar soluções que contribuam para a recolocação profissional, capacitação e empreendedorismo. O projeto conta com a realização da Think Lab.

O evento terá quatro dias de atividades totalmente online e irá envolver até cinco mil pessoas em equipes de diversas áreas. Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro registrados no Cadastro de pessoas Físicas – CPF e em situação regular no país que tenha mais de 18 anos de idade pode se inscrever gratuitamente pelo site coronathon.enap.gov.br. Os participantes deverão ter conhecimentos referencialmente em áreas como desenvolvimento de aplicativos, ciência de dados, programação, negócios, economia, administração pública, marketing e design.

Para o presidente da Enap, Diogo Costa, o evento será uma oportunidade para juntar as melhores soluções tecnológicas no enfretamento dos desafios econômicos. “Inovadores do Brasil, preparem-se para uma corrida de desenvolvimento veloz de novas soluções tecnológicas contra a maior crise da nossa geração”, convida Diogo.

Segundo projeções do Ministério da Economia, o PIB brasileiro deve apresentar um recuo de 4,7% em 2020. E as políticas de distanciamento social, caso se prolonguem, poderão acentuar os efeitos econômicos diretos (perda de produção e queda mais acentuada no PIB de 2020) e indiretos (maior número de empresas decretando falência, maior endividamento público e privado e aumento na taxa natural de desemprego). Esse cenário econômico traz desafios e, com isso, ganham relevância iniciativas que atuem na relocação profissional, qualificação técnica e empreendedorismo.

Segundo o IBGE, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,2% no primeiro trimestre de 2020, e o cenário econômico global desafiará ainda mais esses números. Por este motivo, cada vez é mais importante trabalharmos em iniciativas que auxiliem na relocação profissional, qualificação técnica e empreendedorismo. Foco nas pessoas A expectativa da Enap é gerar ideias, conhecimentos e soluções que ajudem a melhorar as condições de geração de emprego e renda, a partir de inciativas de análises de dados. “Tivemos recentemente uma rodada de desafios públicos para o enfrentamento da covid-19 que trouxe excelentes ideias e propostas de soluções. Queremos aprofundar o processo, agora de forma mais focada e com maior interação com os usuários, ajudando a encontrar soluções para que as pessoas consigam se reposicionar profissionalmente, se necessário, no pós-pandemia”, conta Guilherme de Almeida, Diretor de Inovação da Escola Nacional de Administração Pública.

“A Microsoft tem a missão de empoderar cada pessoa ou organização do planeta a conquistar mais, e a tecnologia possui um papel fundamental nesse processo. Com o apoio ao Desafio Hackaton covid-19, criado pela Enap, buscamos fomentar a criação de soluções que contribuam para a recolocação profissional, capacitação e empreendedorismo”, afirma Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil.

“Nosso objetivo é que o evento seja cocriado junto com toda a comunidade para que as soluções desenvolvidas pelos participantes ao final do desafio beneficiem a própria comunidade”, explica Marcos Eduardo de Oliveira, da Think Lab Brasil.

“Queremos levar a experiência dos eventos presenciais para o mundo virtual nesse momento onde as pessoas não podem sair de casa. Para isso estamos preparando diversas atividades de interação com os participantes”, conta Oliveira.

 

Entenda como será o Coronathon

O Coronathon começa no dia 10 de junho e se estende até o dia 14 com atividades ao longo das 72 horas. Serão cinco etapas: formação das equipes multidisciplinares, imersão (identificação e conhecimento do problema), ideação (geração de ideias), prototipação (transformação de ideias em algo palpável) e solução (entrega da solução final). As soluções desenvolvidas e as equipes premiadas serão divulgadas em uma live no dia 17 de junho. As cinco melhores soluções receberão respectivamente os seguintes prêmios: R$ 8 mil, R$ 6 mil, R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil.

Os vencedores participarão de programa de mentoria com Tania Cosentino, presidente da Microsoft Brasil. A We Impact (www.weimpact.tech) irá premiar as melhores equipes femininas ou mistas, formadas por ao menos 50% de mulheres, com um programa de ideação.

Os participantes serão orientados por uma rede de mentores liderada pelo Prof. Persival Ballesté, professor e membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Big Data Analytics na Escola Politécnica da USP, responsável técnico pelo evento.

A inscrição para o evento é gratuita e está aberta até o dia 10 de junho, às 17h, e pode ser feita via site coronathon.enap.gov.br. Nessa página também é possível ter acesso ao regulamento e tirar dúvidas.

 

Serviço

Coronathon – Desafio Hackaton Covid-19 10 a 14 de junho de 2020
Inscrições gratuitas em coronathon.enap.gov.br

Acompanhe as atualizações: facebook.com/coronathonbr instagram.com/coronathonbr twitter.com/coronathonbr