Capacitar digitalmente cerca de 5,5 milhões de trabalhadores. Essa é a proposta do programa Caminho Digital, criado pelo programa Renda e Oportunidade e que conta com a parceria da Softex.

Um dos grandes destaques do programa Caminho Digital, que é uma idealização do Ministério do Trabalho e Previdência, é o de centralizar e promover iniciativas de capacitação com foco no desenvolvimento de habilidades digitais e inserção de profissionais voltados para a Economia 4.0, que apresenta a evolução do processo analógico para um contexto virtual, em que todas as informações relacionadas à produção estão acessíveis, de forma que as máquinas conseguem analisar todos os dados e, com base neles, tomar decisões eficientes com agilidade.

Cabe destacar, ainda, que a Escola do Trabalhador 4.0 – parceria da pasta com  a Microsoft  -,  é parte do programa Caminho Digital e que oferece cursos gratuitos com temas ligados à tecnologia  e produtividade.

Ao todo são ofertados 50 cursos gratuitos oferecidos pelo programa e que foram divididos em cinco trilhas:  Letramento digital, produtividade, introdução à programação, profissionalizante, avançados em TI. A lista completa dos cursos que oferecem certificados pode ser consultada aqui.

 

Serviço

Programa Caminho Digital

Público-alvo

Todo trabalhador que se interessar pelos cursos

Os cursos são gratuitos

Para fazer o cadastro clique aqui

Com a proposta de apresentar oportunidades de negócios para empresas e instituições de ciência e de tecnologia de todo o Brasil por meio de experiências imersivas e conversas com especialistas, a Softex promoverá em São Paulo, no próximo dia 17 de maio, a primeira edição do “Softex Experience, Uma Vida de Inovação”.

A programação inclui painéis, fóruns e palestras sobre temas relevantes para o ecossistema de inovação nacional, além da oferta de espaços de convivência para networking. As experiências serão divididas em nove blocos temáticos: Capacitação, Conexão, Internacionalização, Programas Prioritário com a Lei da Informáticas, Investimentos, Filantropia, Inovação Aberta, Cases de Sucesso e Inteligência Artificial.

O Softex Experience discutirá, entre outros temas, as tendências e as oportunidades de negócios nos mercados europeu e norte-americano – incluindo casos de sucesso de internacionalização; a aceleração tecnológica na indústria; as novas tecnologias aliadas à produtividade e à performance, além dos investimentos que o Brasil deverá realizar nos próximos anos em arquiteturas cognitivas. O encontro também será palco do Fórum de Inovação do IA² MCTI e do lançamento do programa VIAS.

Mais informações sobre o Softex Experience e inscrições – que são gratuitas – no endereço https://experience.softex.br/

 

Os próximos cinco anos prometem ser muito promissores para o setor de serviços de TI. É o que aponta o relatório Worldwide Semiannual Services Tracker da IDC, que afirma: mercado continuará a se expandir a uma taxa de 4-5% ao ano.

Neste ciclo de previsão, os analistas de serviços da IDC analisaram impactos de curto prazo, como demanda reprimida e o conflito Ucrânia/Rússia, bem como outros mais estruturais, como adoção de nuvem pública, escassez de talentos e inflação.

Para 2022, a receita mundial de serviços de TI e negócios deverá crescer 5,6% (em moeda constante). Esse valor representa um aumento de 160 pontos base em relação à previsão de outubro de 2021 da IDC, que revisou os números anteriores.

Essa visão de mercado aprimorada reflete reservas e pipelines robustos de 2021 por vários grandes provedores de serviços, uma perspectiva econômica melhor (em comparação com o ciclo de previsão anterior) e impacto inflacionário no mercado de serviços, compensado ligeiramente pelo impacto negativo do conflito Ucrânia/Rússia.

O mercado de serviços das Américas deverá crescer 5,3% em 2022, um aumento de 150 pontos base em relação à previsão de outubro de 2021 (em moeda constante). Isso é atribuído a uma recuperação econômica mais rápida e ao impacto da inflação. A IDC acredita que a tendência continuará no curto prazo: as taxas de crescimento de 2022 e 2023 foram ajustadas em 150 e 100 pontos base, ou cerca de 4% de crescimento ano a ano para os próximos cinco anos.

Nos mercados de serviços de TI e de negócios e em todas as regiões, os gastos com serviços relacionados à Nuvem têm sido o principal acelerador de crescimento desde 2020. A IDC prevê que continue a crescer perto de 20% ano a ano em 2022 e entre 15% e 20% em relação ao ano anterior. os próximos três anos.

A IDC também está vendo mais provedores de serviços passando de serviços de TI e de negócios para serviços de tecnologia operacional (OT), com base nos números do novo Tracker da IDC para gastos com serviços no lado de OT (também definido pela IDC como Digital Engineering & Operational Technology Services ou DEOT). Mesmo depois de contabilizar a interrupção do lado da oferta causada pela crise Ucrânia/Rússia, ainda prevemos que os mercados de engenharia de produto e serviços de engenharia de tecnologia operacional e serviços de tecnologia operacional cresçam duas vezes mais rápido que os mercados de TI e negócios.

No geral, embora a inflação possa aumentar artificialmente o tamanho do mercado no curto prazo, isso é amplamente compensado pela instabilidade da demanda e pelo aumento dos custos trabalhistas.

 

É crescente a aumento da rotatividade na área de Engenharia de Software. Cerca de 69.9% do turnover de profissionais de TI é voluntário, o que vem preocupando tanto as empresas de tecnologia como os CEOs.

Mas, quais fatores têm motivado essa movimentação de colaboradores entre empresas? Características individuais desses profissionais podem influenciar nessa decisão? Para apurar esse cenário, a Softex, em parceria com pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública estão promovendo a pesquisa “Turnover em Engenharia de Software”.

Esse levantamento inédito mapeará, além das causas dessa rotatividade e como é possível mitigá-las, a qualificação educacional desses profissionais, formas de trabalho (remoto, presencial), idade, gênero e distribuição geográfica pelo país.

Se você é engenheiro de software e já migrou de empresa pelo menos uma vez em sua carreira, participe desta pesquisa! E por colaborar conosco nesse levantamento – que exigirá apenas 20 minutos de seu tempo – entregaremos em 30 dias um feedback sobre suas características de personalidade.

Clique aqui para participar.

O país se preparar para realizar grandes rodadas de negócios com foco na obtenção de informações estratégicas para a internacionalização

 

Brasília, 13 de abril de 2022.  De 6 a 10 de junho, a Colômbia –  um dos países que mais cresce no continente quando o assunto é inovação e tecnologia -, será palco de importantes conexões para a internacionalização.

A Missão Colômbia, realização do Brasil IT+ , com promoção da Softex e ApexBrasil, se prepara para realizar grandes rodadas de negócios com foco na obtenção de informações estratégicas.

O evento tem como proposta promover uma imersão no ecossistema de negócios do país, bem como destacar as oportunidades de investimentos e de conexões para internacionalização, além de permitir o  acesso das empresas brasileiras ao mercado colombiano.

O ecossistema colombiano tem sido considerado um dos mais favoráveis para recursos estrangeiros. O país compartilha o seu fuso horário com importantes centro de negócios como  Nova York, Toronto e Miami. O evento é híbrido e as inscrições estão abertas até o dia 25 de abril.

Para se inscrever clique aqui.

 

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Softex renovara para o biênio 2022-2024 o convênio do Projeto Setorial Brasil IT+, o maior e mais abrangente plano de internacionalização competitiva de empresas desenvolvedoras de software e prestadoras de serviços já implementado no país.

Ao longo dos próximos dois anos, R$ 20 milhões serão investidos em ações de promoção comercial no exterior. Os mercados-alvos prioritários do projeto são Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Portugal, Espanha, Colômbia e Chile.

Para Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex, “nossa proposta é traçar a melhor jornada de internacionalização de acordo com o perfil de cada empresa e de seu mercado-alvo, bem como por meio de um pack de inteligência comercial envolvendo uma ação estruturante, como capacitação ou treinamento, integrada por feira, missão comercial e análise mercado, proporcionando assim uma internacionalização 360° e uma experiência muito mais assertiva”.

Nesse novo ciclo, as empresas aderidas terão a oportunidade de passar por uma análise de maturidade internacional para o desenvolvimento de ações customizadas e de participar de atividades estratégicas de apoio à internacionalização.

Serão oferecidas ações estruturantes focadas em capacitação e inteligência comercial, além do suporte para a presença nos maiores eventos de tecnologia do mundo com foco em prospecção e realização de negócios com valores subsidiados, entre os quais London Tech Week, Collision Canadá, Gartner, Midsize Summit e MWC 2023.

Outros benefícios oferecidos às associadas são acesso prévio a informações qualificadas sobre os mercados-alvo, validação de produto e conexão com potenciais clientes e parceiros no exterior, bootcamps virtuais, rodadas de negócios e missões internacionais online e virtuais.

Iniciado em 2005, o Projeto Setorial Brasil IT+ tem por objetivos gerar novas oportunidades de negócios no mercado internacional para as companhias brasileiras participantes, ampliar o volume de exportações, aumentar a exposição da indústria brasileira de TI e fortalecer a imagem do Brasil como um centro mundial de excelência no setor.

Ao longo dos últimos 17 anos, o Projeto Setorial Brasil IT+ já envolveu mais de 640 companhias interessadas em expandir sua atuação para além das fronteiras nacionais. Hoje, o volume de negócios gerado pelas companhias aderidas ao Projeto atingiu em US$ 421 milhões em 2021.

Os interessados em integrar o Projeto Setorial Brasil IT+ devem se inscrever no site https://brasilitplus.com/participar/ e, na sequência, seguir as etapas de avaliação do potencial de internacionalização e apresentação de suas demandas e estratégias de ação no exterior.