Braskem, Embraer, Furukawa, Klabin, Marcopolo, Positivo, Sercomtel e Votorantim são algumas das empresas-âncora do programa

A inovação aberta (open innovation), processo de compartilhar desafios e promover o esforço conjunto entre empresas e startups para o desenvolvimento de novas ideias e tecnologias, já faz parte da rotina de diversas organizações dos mais diversos setores no Brasil.

E esse ecossistema acaba de ganhar um novo catalisador: o Programa TechD, lançado pela Softex, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Com recursos da ordem de R$ 18 milhões, sua missão é fazer a ponte entre o universo empreendedor e o de pesquisa por meio da integração e da maior convergência entre startups, centros de P&D, universidades e empresas do setor produtivo.

Em sua primeira fase, o TechD firmou 22 acordos com Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs), centros de P&D e universidades. Na segunda etapa, encerrada no final de agosto, médias e grandes companhias interessadas em desenvolver tecnologias através de processos de inovação aberta – as chamadas empresas-âncora – foram convidadas a integrar o programa.

Das 47 inscritas, número que superou as expectativas da Softex, 44 tiveram sua participação confirmada, entre as quais Braskem, Embraer, Furukawa, Klabin, Marcopolo, Positivo, Sercomtel e Votorantim.

“Localizadas em diversas regiões do país e atuantes em diferentes verticais elas investirão em projetos inovadores focados em quatro linhas temáticas: IoT, Saúde, Energia e Mobilidade. Nas próximas semanas entraremos na terceira fase do TechD: a abertura da chamada pública para startups e pesquisadores. As soluções desenvolvidas serão validadas junto às empresas-âncora e também no exterior”, detalha Diônes Lima, vice-presidente da Softex.

Além de tornar a produção científica uma importante ferramenta no posicionamento mundial do setor de software, hardware e serviços de TI, o TechD colaborará para o desenvolvimento de tecnologias com maior valor agregado e que possam contribuir para melhorar o ranking do Brasil como país inovador. Hoje, o país figura na 99ª posição no Global Innovation Index 2017.

Confira a relação de empresas-âncoras selecionadas para o Programa TechD acessando https://techd.softex.br/