Em 2018, a Bahia deve sediar um dos maiores eventos internacionais na área de educação, o Virtual Educa, que reúne projetos inovadores no campo educacional e da formação profissional. Representando o Brasil, o Governo do Estado apresentou aos organizadores do projeto as condições de infraestrutura e os atrativos baianos. O governador Rui Costa se reuniu com representantes da organização, no final da tarde desta quinta-feira (28) e, ao lado dos secretários estaduais da Educação, Walter Pinheiro, do Turismo, José Alves, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Manoel Mendonça, demonstrou o interesse e a afinidade da Bahia com o tema.

O evento ocorre a cada ano em um país membro da Organização dos Estados Americanos (OEA). Para 2018, um dos temas escolhidos é o da imigração e os fluxos migratórios ao redor do mundo. Por esse motivo, a Bahia desperta ainda mais interesse dos organizadores, de acordo com o secretário geral do Virtual Educa, José María Antón, que esteve no gabinete do governador nesta quinta.

“Consideramos que [o evento] deve [ocorrer] na Bahia por muitas razões. O multiculturalismo que norteia a globalização, com diversidades de matrizes e valores, está no Brasil, de uma maneira geral, e na Bahia mais especificamente. A ideia é produzir aqui um encontro mundial para trocar experiências sobre o que está sendo feito na África, na Europa, nos Estados Unidos, ao redor do mundo”, disse o secretário geral. José María Antón afirmou ainda que “eu, pessoalmente, me sinto inclinado a trazer o evento para a Bahia porque vivi durante 18 anos na África e aqui temos muitas dessas influências. Acredito na Bahia como um lugar muito importante para definir os rumos da política e da prática educacional no século XXI”.

O secretário Walter Pinheiro disse estar confiante na capacidade do estado em sediar um evento de tamanha importância. “Muitas das iniciativas que integram tecnologia e educação já são utilizadas na Bahia com sucesso. Temos muitas dessas referências e já nos apresentamos como um polo importante nesse sentido”. Para ele, essa pode ser a primeira vez que o continente africano participe do Virtual Educa. “Então nada mais justo que o nosso estado, tão rico em referências e heranças da África, receba este encontro. As nossas experiências nas áreas de tecnologia e educação, aliadas à nossa riqueza cultural, fazem da Bahia um local perfeito para esse evento”.

Em 2018, a Bahia deve sediar um dos maiores eventos internacionais na área de educação, o Virtual Educa, que reúne projetos inovadores no campo educacional e da formação profissional. Representando o Brasil, o Governo do Estado apresentou aos organizadores do projeto as condições de infraestrutura e os atrativos baianos. O governador Rui Costa se reuniu com representantes da organização, no final da tarde desta quinta-feira (28) e, ao lado dos secretários estaduais da Educação, Walter Pinheiro, do Turismo, José Alves, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Manoel Mendonça, demonstrou o interesse e a afinidade da Bahia com o tema.

O evento ocorre a cada ano em um país membro da Organização dos Estados Americanos (OEA). Para 2018, um dos temas escolhidos é o da imigração e os fluxos migratórios ao redor do mundo. Por esse motivo, a Bahia desperta ainda mais interesse dos organizadores, de acordo com o secretário geral do Virtual Educa, José María Antón, que esteve no gabinete do governador nesta quinta.

“Consideramos que [o evento] deve [ocorrer] na Bahia por muitas razões. O multiculturalismo que norteia a globalização, com diversidades de matrizes e valores, está no Brasil, de uma maneira geral, e na Bahia mais especificamente. A ideia é produzir aqui um encontro mundial para trocar experiências sobre o que está sendo feito na África, na Europa, nos Estados Unidos, ao redor do mundo”, disse o secretário geral. José María Antón afirmou ainda que “eu, pessoalmente, me sinto inclinado a trazer o evento para a Bahia porque vivi durante 18 anos na África e aqui temos muitas dessas influências. Acredito na Bahia como um lugar muito importante para definir os rumos da política e da prática educacional no século XXI”.

O secretário Walter Pinheiro disse estar confiante na capacidade do estado em sediar um evento de tamanha importância. “Muitas das iniciativas que integram tecnologia e educação já são utilizadas na Bahia com sucesso. Temos muitas dessas referências e já nos apresentamos como um polo importante nesse sentido”. Para ele, essa pode ser a primeira vez que o continente africano participe do Virtual Educa. “Então nada mais justo que o nosso estado, tão rico em referências e heranças da África, receba este encontro. As nossas experiências nas áreas de tecnologia e educação, aliadas à nossa riqueza cultural, fazem da Bahia um local perfeito para esse evento”.

image002

Mercado canadense de TIC: oportunidades para empresas brasileiras

A internacionalização da própria empresa é uma expectativa para muitos empresários. Os executivos de companhias da área de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) que embarcaram na missão para o Canadá, organizada pela CCBC e pelo Softex Recife, estão mais perto de concretizar essa expectativa.

Realizada no início do mês, a missão contemplou a visita a empresas e instituições na região de Ontário, segundo maior ambiente de inovação da América do Norte. Com mais de 40 reuniões realizadas, os empresários puderam participar de encontros comerciais e técnicos, estreitando o relacionamento com grandes players canadenses, entre os quais TD Bank, Scotiabank, Royak Bank of Canada, Loblaw e Aecon Group.

“Após uma reunião na rodada de negócios, fizemos uma apresentação na sede de uma empresa canadense para a equipe de TI de um grande grupo. Ficamos surpresos com a abertura da equipe em experimentar novas soluções que possam agilizar e ou resolver os problemas que eles têm.  A missão encurtou o processo que achávamos que seria mais longo”, contou Patrick Gouy, da RH3, uma das empresas que integrou a comitiva ao Canadá.

Além dos encontros de negócios, a missão contribuiu para que as empresas adquirissem novas competências, melhorando sua capacidade técnica e comercial, como a realização de um treinamento dedicado a empresas que buscam fazer negócios com o governo canadense.

“Um representante do governo federal, do Office Small and Medium Enterprises (OSME), realizou uma apresentação com o intuito de apresentar informações relevantes para quem quer atuar no segmento de vendas ao setor público, o que foi muito proveitoso, pois muitas empresas possuem tecnologias para o governo”, afirma Armínio Calonga Júnior, business development da CCBC, que acompanhou a missão.

“A missão empresarial promovida pela Softex Recife em coordenação com a CCBC (Câmara de Comércio Brasil Canadá) no início de julho deste ano foi um sucesso.  O foco em rodada de negócios, proporcionando encontros frente a frente com empresas e organizações canadenses de médio e grande porte contribuiu fortemente para o objetivo B2B das empresas de TI participantes. O evento proporcionou oportunidade direta de desenvolvimento de negócios, permitindo às empresas demonstrarem seus produtos e entenderem demandas do mercado de TI no Canadá. Neste aspecto o trabalho realizado em conjunto com CCBC foi fundamental para conexão com o mercado”, segundo Luis Barrionuevo, da LBarrio Consultoria.

Na visão de Marcelo Marchi, da PrimeUp, “A missão foi essencial para entender como os grandes clientes fazem aquisição de tecnologia em um mercado maduro, pois ficou muito evidente que procuram por inovações que tornem seus processos mais eficientes e digitais. Nas reuniões de negócio foi fundamental direcionarmos nossos esforços nas competências em que temos um grande diferencial competitivo”

Tanto os contatos na área técnica, como na área comercial realizados durante o evento, são pontos de partida para a continuidade das negociações, como destacou Roger Pelegrino da Stefanini. “A rodada é importante, pois conseguimos abrir portas e depois dar continuidade nas negociações. Uma rodada bem estruturada, como a que tivemos, permite um ambiente de negócios neutro e com possibilidade de ter reuniões com os convidados. Apenas vender não é o mais importante, pessoas dispostas a ouvir as soluções que as empresas brasileiras oferecem, também é de extrema importância para esse setor, que muitas vezes requer tempo para o amadurecimento do negócio”, explica.

Segundo Marcos Gomes, Diretor de TI do Softex Recife, a missão foi muito positiva. “Fizemos excelentes contatos, bem qualificados, com empresas e instituições canadenses. O resultado geral na avaliação das empresas é de boas perspectivas de negócios, para isto estamos com um projeto de internacionalização para o Canadá, que vai muito além das rodadas de negócio, e que visa dar suporte as empresas antes e depois da realização destes encontros”, conclui.

image002

Mercado canadense de TIC: oportunidades para empresas brasileiras

A internacionalização da própria empresa é uma expectativa para muitos empresários. Os executivos de companhias da área de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) que embarcaram na missão para o Canadá, organizada pela CCBC e pelo Softex Recife, estão mais perto de concretizar essa expectativa.

Realizada no início do mês, a missão contemplou a visita a empresas e instituições na região de Ontário, segundo maior ambiente de inovação da América do Norte. Com mais de 40 reuniões realizadas, os empresários puderam participar de encontros comerciais e técnicos, estreitando o relacionamento com grandes players canadenses, entre os quais TD Bank, Scotiabank, Royak Bank of Canada, Loblaw e Aecon Group.

“Após uma reunião na rodada de negócios, fizemos uma apresentação na sede de uma empresa canadense para a equipe de TI de um grande grupo. Ficamos surpresos com a abertura da equipe em experimentar novas soluções que possam agilizar e ou resolver os problemas que eles têm.  A missão encurtou o processo que achávamos que seria mais longo”, contou Patrick Gouy, da RH3, uma das empresas que integrou a comitiva ao Canadá.

Além dos encontros de negócios, a missão contribuiu para que as empresas adquirissem novas competências, melhorando sua capacidade técnica e comercial, como a realização de um treinamento dedicado a empresas que buscam fazer negócios com o governo canadense.

“Um representante do governo federal, do Office Small and Medium Enterprises (OSME), realizou uma apresentação com o intuito de apresentar informações relevantes para quem quer atuar no segmento de vendas ao setor público, o que foi muito proveitoso, pois muitas empresas possuem tecnologias para o governo”, afirma Armínio Calonga Júnior, business development da CCBC, que acompanhou a missão.

“A missão empresarial promovida pela Softex Recife em coordenação com a CCBC (Câmara de Comércio Brasil Canadá) no início de julho deste ano foi um sucesso.  O foco em rodada de negócios, proporcionando encontros frente a frente com empresas e organizações canadenses de médio e grande porte contribuiu fortemente para o objetivo B2B das empresas de TI participantes. O evento proporcionou oportunidade direta de desenvolvimento de negócios, permitindo às empresas demonstrarem seus produtos e entenderem demandas do mercado de TI no Canadá. Neste aspecto o trabalho realizado em conjunto com CCBC foi fundamental para conexão com o mercado”, segundo Luis Barrionuevo, da LBarrio Consultoria.

Na visão de Marcelo Marchi, da PrimeUp, “A missão foi essencial para entender como os grandes clientes fazem aquisição de tecnologia em um mercado maduro, pois ficou muito evidente que procuram por inovações que tornem seus processos mais eficientes e digitais. Nas reuniões de negócio foi fundamental direcionarmos nossos esforços nas competências em que temos um grande diferencial competitivo”

Tanto os contatos na área técnica, como na área comercial realizados durante o evento, são pontos de partida para a continuidade das negociações, como destacou Roger Pelegrino da Stefanini. “A rodada é importante, pois conseguimos abrir portas e depois dar continuidade nas negociações. Uma rodada bem estruturada, como a que tivemos, permite um ambiente de negócios neutro e com possibilidade de ter reuniões com os convidados. Apenas vender não é o mais importante, pessoas dispostas a ouvir as soluções que as empresas brasileiras oferecem, também é de extrema importância para esse setor, que muitas vezes requer tempo para o amadurecimento do negócio”, explica.

Segundo Marcos Gomes, Diretor de TI do Softex Recife, a missão foi muito positiva. “Fizemos excelentes contatos, bem qualificados, com empresas e instituições canadenses. O resultado geral na avaliação das empresas é de boas perspectivas de negócios, para isto estamos com um projeto de internacionalização para o Canadá, que vai muito além das rodadas de negócio, e que visa dar suporte as empresas antes e depois da realização destes encontros”, conclui.

Informações e inscrições até o dia 22 de julho

A Softex, em parceria com a Apex-Brasil, promoverá nos dias 28 e 29 de julho, em São Paulo, o workshop presencial “Recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais”.

A iniciativa é mais uma atividade do programa  International Way – Modelagem de Negócios Internacionais em TI, que tem por objetivo desenvolver junto às empresas deste setor estratégias mais ágeis e enxutas de internacionalização.

“No primeiro workshop, sobre planejamento de canais e realizado em abril, as empresas puderam esboçar suas estratégias de vendas no exterior via parceiros, modelando seu plano e programa de canais na prática. Neste, os participantes poderão definir questões relacionadas a recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais. Desta forma, as empresas que participarem conosco do XChange 2016, tradicional evento de relacionamento com canais e distribuidores e que será realizado em agosto, no Texas, não só estarão mais bem preparadas como também terão a oportunidade de validar e testar direto no mercado americano hipóteses levantadas durante os dois eventos”, destaca Guilherme Amorim, gestor da área Internacional da Softex.

Na pauta do encontro, entre outros temas, como preparar a empresa para prospectar e recrutar novos parceiros no exterior, como estruturar a companhia para que seja possível efetuar uma gestão eficiente dos parceiros internacionais e estratégias de apoio para comercialização. Na oportunidade, também será detalhado um caso de sucesso. Além de participarem do workshop presencial, os inscritos terão direito de acesso a um webinar exclusivo sobre o tema.

Informações e inscrições até o dia 22 de julho no endereço https://form.jotformz.com/60944475849673?mc_cid=7ae5d46c76&mc_eid=[UNIQID], pelo e-mail sabrina@softex.br ou pelo telefone (61) 3327-2119. As vagas são limitadas.


Workshop “Recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais”

Data: 28 e 29 de julho

Local: Apex-Brasil – Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 28 – 1°andar

Horário: das 09h00 às 18h00

Informações e inscrições: https://form.jotformz.com/60944475849673?mc_cid=7ae5d46c76&mc_eid=[UNIQID]

Informações e inscrições até o dia 22 de julho

A Softex, em parceria com a Apex-Brasil, promoverá nos dias 28 e 29 de julho, em São Paulo, o workshop presencial “Recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais”.

A iniciativa é mais uma atividade do programa  International Way – Modelagem de Negócios Internacionais em TI, que tem por objetivo desenvolver junto às empresas deste setor estratégias mais ágeis e enxutas de internacionalização.

“No primeiro workshop, sobre planejamento de canais e realizado em abril, as empresas puderam esboçar suas estratégias de vendas no exterior via parceiros, modelando seu plano e programa de canais na prática. Neste, os participantes poderão definir questões relacionadas a recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais. Desta forma, as empresas que participarem conosco do XChange 2016, tradicional evento de relacionamento com canais e distribuidores e que será realizado em agosto, no Texas, não só estarão mais bem preparadas como também terão a oportunidade de validar e testar direto no mercado americano hipóteses levantadas durante os dois eventos”, destaca Guilherme Amorim, gestor da área Internacional da Softex.

Na pauta do encontro, entre outros temas, como preparar a empresa para prospectar e recrutar novos parceiros no exterior, como estruturar a companhia para que seja possível efetuar uma gestão eficiente dos parceiros internacionais e estratégias de apoio para comercialização. Na oportunidade, também será detalhado um caso de sucesso. Além de participarem do workshop presencial, os inscritos terão direito de acesso a um webinar exclusivo sobre o tema.

Informações e inscrições até o dia 22 de julho no endereço https://form.jotformz.com/60944475849673?mc_cid=7ae5d46c76&mc_eid=[UNIQID], pelo e-mail sabrina@softex.br ou pelo telefone (61) 3327-2119. As vagas são limitadas.

Workshop “Recrutamento, seleção e gestão de canais internacionais”

Data: 28 e 29 de julho

Local: Apex-Brasil – Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 28 – 1°andar

Horário: das 09h00 às 18h00

Informações e inscrições: https://form.jotformz.com/60944475849673?mc_cid=7ae5d46c76&mc_eid=[UNIQID]